Publicidade

Correio Braziliense

Curso promove empreendedorismo em regiões administrativas do DF

Curso da Fundação Assis Chateaubriand e da Secretaria de Esporte e Lazer ajudou a melhorar o negócio de moradores de Ceilândia, Riacho Fundo, Samambaia, São Sebastião e Sobradinho


postado em 18/11/2019 06:01 / atualizado em 17/11/2019 22:17

Ao todo, 64 alunos, de várias regiões administrativas, foram certificados pela conclusão do curso de empreendedorismo Agora Vai, no último sábado(foto: Camila de Magalhaes/FAC/D.A Press)
Ao todo, 64 alunos, de várias regiões administrativas, foram certificados pela conclusão do curso de empreendedorismo Agora Vai, no último sábado (foto: Camila de Magalhaes/FAC/D.A Press)

Para a massoterapeuta Ana Vale, 44 anos, a grande lição de vida aprendida com os pais foi: “Se você quer mudar a história da sua vida, estude e conquiste”. Filha de nordestinos e caçula de nove irmãos, a moradora de Sobradinho levou isso a sério e vem batalhando para crescer no mundo profissional. Aos 30 anos, descobriu a paixão pelas possibilidades da massagem e vem se qualificando para se aprimorar. Há sete anos, ela abriu um centro de massoterapia em Sobradinho, a Estetic Center, e percebeu a oportunidade de ampliar o negócio compartilhando conhecimentos por meio de cursos de massagens, estética e técnicas terapêuticas, além de atendimento à comunidade carente da região.

Ana só não sabia bem como fazer essa ampliação. Foi aí que procurou o curso de empreendedorismo Agora vai, oferecido gratuitamente a adultos matriculados em atividades físicas nos Centros Olímpicos e Paralímpicos de Ceilândia (Parque da Vaquejada e Setor O), Riacho Fundo I, Samambaia, São Sebastião e Sobradinho. A iniciativa, realizada pela Fundação Assis Chateaubriand em parceria com a Secretaria de Esporte e Lazer do Distrito Federal, proporcionou a 64 alunos o acesso a aprendizado para se empreender de forma planejada e com riscos calculados. As aulas foram realizadas aos sábados, de setembro a novembro.

Moradora de Sobradinho, Ana Vale foi a vencedora da mostra de projetos do curso(foto: Camila de Magalhaes/FAC/D.A Press)
Moradora de Sobradinho, Ana Vale foi a vencedora da mostra de projetos do curso (foto: Camila de Magalhaes/FAC/D.A Press)


Seis participantes do curso foram selecionados para apresentar ideias no último sábado durante a mostra de projetos Demo Day Agora Vai 2019, que foi seguida pela entrega de certificados no Auditório do Correio. Entre os negócios apresentados, estavam uma esmalteria de São Sebastião que une serviços de manicure com vendas de roupas de malhar, cerveja e petiscos (D’Ju Esmalteria); uma ferraria de Samambaia que produz facas artesanais e objetos decorativos forjados (Ferraria Lobo); uma vitrine virtual de produtos eróticos pensada por uma equipe em Riacho Fundo I (Doçuras e Travessuras); um e-commerce de moda feminina com atendimento domiciliar e serviço de costureira para ajustes, pensada por empreendedora de Ceilândia (Provisão Store); chocolates sem açúcar para pessoas diabéticas ou que querem uma alimentação mais saudável (Choco Light).


Direcionamento


Com postura firme e serena, Ana Vale foi a vencedora por unanimidade de votos dos jurados e não conteve a emoção ao lado da família e amigos. “Isso demostra que estou no caminho certo. No começo, estava apreensiva, mas é um sentimento de extrema felicidade e empoderamento, que me mostra que sou capaz. O curso me ajudou a sair com mais segurança e estabilidade. Saio extremamente esperançosa de que agora vai”, comentou a empreendedora.

Anailse Araújo apresentou a loja virtual Provisão Store, com artigos de moda feminina(foto: Camila de Magalhaes/FAC/D.A Press)
Anailse Araújo apresentou a loja virtual Provisão Store, com artigos de moda feminina (foto: Camila de Magalhaes/FAC/D.A Press)


Para a moradora de Ceilândia Anailse Araújo, 39, empreender foi uma saída para poder acompanhar o crescimento dos filhos. “Comecei vendendo lingerie e vi que tenho dom para isso, gosto de trabalhar com vendas, gosto de empreender, dou meu melhor para que o cliente fique satisfeito e para que eu me sinta satisfeita com o que estou fazendo. Com o curso, eu me sinto mais valorizada, pois percebi que é isso que eu quero”, observou Anailse, que planeja abrir um e-commerce da Provisão Store. 

Hudson Lobo deixou o emprego formal para se dedicar exclusivamente à oficina de ferraria(foto: Camila de Magalhaes/FAC/D.A Press)
Hudson Lobo deixou o emprego formal para se dedicar exclusivamente à oficina de ferraria (foto: Camila de Magalhaes/FAC/D.A Press)


O ferreiro Hudson Lobo, 31, decidiu largar o emprego formal para se dedicar exclusivamente à oficina. “Enfrentei algumas dificuldades porque o mercado é complicado. Produzir por minha conta e dirigir um negócio não é tão simples. Surgiu a oportunidade de fazer o curso e me ajudou a compreender melhor esse processo e ter uma visão não somente de ir levando do jeito que dá, mas ter uma direção.”

O poder das mulheres

Membros da equipe da Fundação Assis Chateaubriand, os instrutores do curso Agora Vai afirmam que a experiência com grupos tão diversos de várias regiões do DF foi enriquecedora. Márcio Falcão deu aulas em Samambaia e Riacho Fundo I e percebeu que empreender por necessidade é muito frequente nas áreas atendidas pelos Centros Olímpicos e Paralímpicos. “O que percebemos é que a visão de empreendedorismo está muito ligada a fazer sem pensar muito. E a falta de uma orientação, de planejar, de pensar no negócio como um todo deixa-os mais vulneráveis. Aqueles que já empreendem têm dificuldade porque falta planejamento e uma visão mais sistêmica do negócio. O que a gente fez com o curso foi levar para eles esse olhar do empreendedorismo do século 21, em como podem melhorar seu produto ou serviço pensando no benefício para as pessoas. Utilizamos ferramentas para um planejamento melhor, pensando em custos, em pesquisar para saber se é aquilo que os clientes querem. Ajudamos a tirar da cabeça o que eles têm e colocar no papel de uma maneira organizada, para que possam empreender de uma maneira mais responsável e planejada”, explicou Márcio.

Outro ponto identificado foi uma presença maciça de mulheres no curso. “Tivemos um grupo majoritariamente feminino. São mulheres superfortes, guerreiras, que conseguiam lidar com seus trabalhos, filhos, famílias e a vontade de empreender”, destacou Mayane Burti, instrutora nas unidades de São Sebastião e Sobradinho. “A gente está numa onda de empoderamento, com mulheres buscando sua independência financeira e cada vez mais acreditando em si, que podem fazer diferente, ser donas dos próprios negócios. Eu vejo um perfil de mulheres muito empoderadas, entendendo seu papel do mundo. Isso me chamou muito a atenção porque, hoje, as mulheres são minoria no empreendedorismo, mas vejo uma possibilidade muito grande de virada porque as mulheres realmente estão assumindo o poder que elas têm, de conciliar tudo e de dar conta de ir atrás do seu sonho e colocar a mão na massa.”

SERVIÇO
Saiba mais sobre os trabalhos de esporte, cidadania e empreendedorismo da Fundação Assis Chateaubriand: www.facbrasil.org.br e www.ei.org.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade