Publicidade

Correio Braziliense

Caso Noélia: MPDFT denuncia suspeito por homicídio duplamente qualificado

Caso a denúncia seja aceita, Almir Ribeiro também responderá por porte ilegal de arma de fogo


postado em 18/11/2019 15:24 / atualizado em 18/11/2019 15:24

Noélia de Oliveira Rodrigues foi encontrada morta na Colônia Agrícola 26 de Setembro, em 18 de outubro(foto: Reprodução/Facebook)
Noélia de Oliveira Rodrigues foi encontrada morta na Colônia Agrícola 26 de Setembro, em 18 de outubro (foto: Reprodução/Facebook)
O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) denunciou, nesta segunda-feira (18/11), Almir Evaristo Ribeiro, 42 anos, pelo assassinato de Noélia de Oliveira Rodrigues, 38, e por porte ilegal de arma de fogo. Ele está preso preventivamente desde o fim de outubro.

De acordo com a denúncia, feita pela Promotoria do Tribunal do Júri de Águas Claras, o homicídio é duplamente qualificado por uso de recurso que dificultou a defesa da vítima — disparo de arma de fogo a curta distância — e feminicídio. As causas do crime ainda não foram completamente esclarecidas.

Em 17 de outubro, por volta das 22h, Evaristo pegou Noélia em uma parada de ônibus na W3 Norte. Na região de Vicente Pires, ele entrou em uma estrada marginal, parou o veículo e disparou contra Noélia, que morreu no local. 

Noélia foi encontrada morta na Colônia Agrícola 26 de Setembro, em 18 de outubro. O corpo dela apresentava uma marca de tiro no rosto e sinais de luta corporal. Moradora do Sol Nascente, ela não era vista nem falava com a família desde a noite anterior, após sair do shopping onde trabalhava, na Asa Norte
 
Em 24 de outubro, a polícia prendeu Almir, como sendo o principal suspeito. Ele era vizinho da vítima. A princípio ele foi preso temporariamente. No início deste mês, a prisão foi convertida em preventiva. 
 
Com informações do MPDFT 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade