Publicidade

Correio Braziliense

Luiz Estevão é condenado a pagar R$ 40 mil por crime ambiental

Senador cassado foi condenado por desmatar cerca de 2 mil metros quadrados de áreas protegidas do cerrado


postado em 02/12/2019 19:59 / atualizado em 02/12/2019 21:20

Em semiaberto desde abril, senador cassado pagará multa por crime ambiental cometido em uma de suas propriedades(foto: Monique Renne/CB/D.A Press)
Em semiaberto desde abril, senador cassado pagará multa por crime ambiental cometido em uma de suas propriedades (foto: Monique Renne/CB/D.A Press)
O ex-senador Luiz Estevão foi condenado pela Justiça do Distrito Federal a pagar multa de R$ 40 mil por desmatamento irregular. Estevão foi denunciado em junho de 2014 por desmatar 2 mil metros quadrados de vegetação nativa do cerrado sem licença ambiental. O inquérito policial que investiga o crime é de 2008. Não cabe mais recurso.

O empresário já havia sido condenado a regime fechado pelo crime, mas, pela pena ser inferior a quatro anos de reclusão, foi concedido o direito de pagamento de multa. Desde então, ele aguardava a fixação do valor. 

A multa foi definida na sexta-feira (29/11) pelo juiz Gilmar Tadeu Soriano, da Vara de Execuções Penais do DF. O empresário foi condenado por interferir em áreas inseridas em Unidade de Conservação da Área de Proteção Ambiental (APA) do Planalto Central. O crime ambiental foi praticado no interior de uma de suas propriedades, uma fazenda situada na BR-251, no DF.


Semiaberto

Luiz Estevão cumpre 26 anos de prisão em regime semiaberto pelo desvio de R$ 169 milhões nas obras do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo (TRT-SP) e por sonegação fiscal. O empresário foi condenado em 2006 e recolhido ao Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, em março de 2016.

Neste ano, Estevão recebeu o direito ao regime semiaberto, em abril, após cumprir um sexto da pena. O empresário trabalha durante o dia e volta à noite para o Complexo Penitenciário da Papuda.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade