Publicidade

Correio Braziliense

Secretaria de Saúde cria comitê emergencial de enfrentamento ao sarampo

Iniciativa analisará os padrões de ocorrência da doença, distribuição e confirmação ou não de casos suspeitos


postado em 02/12/2019 22:24 / atualizado em 02/12/2019 22:25

Aumento de casos de sarampo no país motivaram criação do comitê, que estudará as ocorrências no DF(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
Aumento de casos de sarampo no país motivaram criação do comitê, que estudará as ocorrências no DF (foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
O Distrito Federal passa a contar a partir desta segunda-feira (2/11) com o Comitê de Operações Emergenciais para o Enfrentamento do Sarampo, no âmbito da Secretaria de Saúde. Entre as atribuições da iniciativa, estão elaborar fluxos e protocolos de vigilância, assistência e laboratório, organizar ações que visem à capacitação de servidores, além de subsidiar gestores com informações técnicas para a adoção de medidas oportunas e tomadas de decisões.

“Com o ressurgimento da doença, com surtos em diversos países, e considerando que, no Brasil, temos 21 estados com registros confirmados de sarampo, a criação do comitê visa ao fortalecimento das ações da vigilância para a execução de ações e o controle da doença”, observa a gerente da Imunização do DF, Renata Brandão.

Há um surto de sarampo no país. Atualmente, há confirmação de 11.896 casos e 15 óbitos pela doença até o começo de novembro (semana 45 do ano). A maioria dos casos, 11.095 (93,2%), está concentrada no estado de São Paulo, principalmente na região metropolitana.

Fazem parte do comitê representantes da Gerência de Vigilância Epidemiológica, Rede de Frio, Laboratório Central (Lacen) e Subsecretaria de Atenção Integral à Saúde. O comitê atuará em parceria com outros órgãos e setores internos e externos à Secretaria de Saúde, incluindo as próprias áreas técnicas da pasta, bem como o Ministério da Saúde, o Conselho de Saúde do Distrito Federal e sociedades de especialistas do Distrito Federal.

“As atribuições do comitê já são realizadas pela equipe técnica da Gerência de Vigilância das Doenças Imunopreveníveis e de Transmissão Hídrica e Alimentar, mas a sua instituição faz com que todos os setores sejam envolvidos na ação”, diz Renata.

Dia D

No último sábado (30/11), em todo o Brasil, ocorreu o Dia D de vacinação contra sarampo para o público jovem. Compareceram às salas de vacina da rede pública do DF um total de 10.625 pessoas com idade entre 20 e 29 anos, sendo que 6.315 receberam a vacina. Desde o início da campanha, 15.169 jovens nessa faixa etária foram imunizados. 

Segundo o Ministério da Saúde, a faixa etária de 20 a 29 anos é a maior responsável pela transmissão da doença. Dos cinco casos da doença registrados no DF em 2019, três estão dentro desta faixa etária.

Com informações da Agência Brasília

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade