Publicidade

Correio Braziliense

''Vai morrer sem ver o Bernardo'', disse pai depois do sequestro do filho

Os áudios foram enviados à mãe do menino, de 1 ano e 11 meses, no domingo. Polícia acredita que a criança morreu no dia do sequestro, em 29 de novembro


postado em 04/12/2019 20:09 / atualizado em 04/12/2019 20:27

(foto: Arquivo Pessoal)
(foto: Arquivo Pessoal)
Investigadores da Delegacia de Repressão ao Sequestro (DRS) acreditam que o menino Bernardo, de 1 ano e 11 meses, foi morto no dia em que foi sequestrado, em 29 de novembro. Dois dias depois, no domingo (2/12), o acusado do crime, o servidor público Paulo Roberto Caldas Osório, 45, mandou diversos áudios (ouça no fim desta reportagem) para a família materna do filho afirmando que ele não seria mais visto. 
 
Nas mensagens enviadas pelo aplicativo WhatsApp, Paulo acusa a mãe do menino, a advogada Tatiana da Silva Marques, 30, e a ex-sogra, de não deixá-lo ficar com o garoto. "Eu falei, desde o início, que se você aprontasse comigo e com a minha vida, a saia da sua mãe não ia te proteger. Pois, agora, você está vendo. Tomei foi ódio, principalmente da sua mãe e das merdas que ela fez na minha vida. Vocês nunca mais vão ver o Bernardo (...) Por que não deixou a coisa correr numa boa? Primeiro arruma confusão e agora quer arrumar? Não. Agora, se vira", afirmou o servidor público.
 
Pelas conversas, Tatiana não cedeu às investidas do ex. "A gente conversou aqui em casa e tentamos fazer um acordo, você não quis. O problema é dinheiro? Pode ficar com o seu dinheiro, que eu não quero, não. Só quero meu filho", pediu a mãe, sem saber do real paradeiro de Bernardo. "Que história é essa? A gente sempre deixou você pegar o Bernardo, sempre deixou você ver o Bernardo, você pega o Bernardo quando você quer, quando você não quer. A gente nunca falou para você não pegar o Bernardo, nunca", salientou.
 
A avó da criança, Juciane Mascarenhas Nascimento, 57, também implora para que Paulo devolva Bernardo. Contudo, o servidor público se mostra agressivo. "O resto da sua vida você vai passar ser o neto, igual meu pai passou. Boa sorte pra você. Espero que você sofra muito", afirmou. Depois, continuou, direcionando-se para Tatiana: "Você nunca tentou me ajudar. Você sempre veio com arrogância, achando que você pode mandar em tudo, porque é advogada. Eu falei que, no dia que você se metesse entre eu e o meu filho, ia passar por cima de você. Agora você está entendendo o recado, né? Você não vai ver Bernardo mais nunca. Você vai morrer sem ver o Bernardo."
 

Confira, abaixo, a íntegra das mensagens trocadas entre Paulo Osório e a família materna de Bernardo:

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade