Publicidade

Correio Braziliense

Caso Bernardo: após confirmação do corpo, investigação é concluída

Peritos do IPDNA levaram menos de seis horas para comprovar que o corpo encontrado na Bahia é do menino. Inquérito policial deve ser entregue à Justiça até quarta-feira


postado em 08/12/2019 13:43 / atualizado em 08/12/2019 14:09

(foto: Arquivo Pessoal)
(foto: Arquivo Pessoal)
Após a confirmação que o corpo encontrado na Bahia, na última quinta-feira (5/12), é do menino Bernardo da Silva Marques Osório, de 1 ano e 11 meses, as investigações acerca do caso estão encerradas. A Divisão de Repressão ao Sequestro (DRS) deve entregar o inquérito policial à Justiça até esta próxima quarta-feira (18/12). Acusado pelo homicídio triplamente qualificado e pela ocultação de cadáver, o servidor público Paulo Roberto Osório, 45, continua preso no Departamento de Controle e Custódia de Presos (DCCP), no Complexo da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), no Parque da Cidade. 
 
A identificação do corpo de Bernardo foi realizada em menos de seis horas pelo Instituto Pesquisa de DNA Forense (IPDNA). A amostra para análise chegou por volta das 13h de sábado (7/12), em posse do delegado Leandro Ritt, chefe da DRS, na aeronave da PCDF que estava no povoado baiano de São João, no município de Palmeiras — onde o cadáver foi encontrado por um morador da região. 
 
O diretor Samuel Ferreira, do IPDNA, ficou responsável por comandar os exames de DNA de Bernardo. "Desde que o corpo foi encontrado, estivemos em contato com os peritos da Polícia Civil da Bahia. Encaminhamos o nosso protocolo de identificação, que possibilidade a celeridade no resultado de identificação. Trata-se de uma técnica que desenvolvemos de análise por meio de tecidos intermediários, como a cartilagem, pois o protoloco com ossos e dentes demoram semanas ou meses", esclarece o médico-legista.
 
Baseados na técnica de identificação de Brasília, os peritos selecionaram um pedaço de cartilagem do joelho da criança. "Mesmo em avançado estado de decomposição, conseguimos selecionar pedaços da cartilagem que ainda tinham células viáveis para a análise. Feito o processo, comparamos com as amostras de DNA dos pais, que tiveram a saliva coletada, e realizamos o exame. Não há dúvidas de que o corpo encontrado é de Bernardo", afirma Samuel Ferreira. 

Fim das investigações

Para o delegado Leandro Ritt, com a confirmação da identidade do corpo, não há mais processos para a finalização do inquérito policial. "Assim, podemos concluir as apurações, até porque, fica comprovado que Paulo mentiu em depoimento sobre a localização do corpo. Isso corrobora com nossa tese de que, o objetivo dele, era que o corpo não fosse encontrado e, desse modo, o sofrimento da família fosse perpetuado", explica. 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade