Publicidade

Correio Braziliense

Novos ônibus passarão a rodar na EPTG a partir de 1º de janeiro

A Urbi e a Expresso São José, empresas de transporte coletivo, receberam nesta terça-feira (10/12) novos modelos de ônibus que passarão a rodar na Estrada Parque Taguatinga (EPTG) em 1º de janeiro de 2020


postado em 11/12/2019 06:00

Os veículos são adequados para a entrada e a saída de passageiros em ambos os lados da via(foto: Urbi/Divulgação)
Os veículos são adequados para a entrada e a saída de passageiros em ambos os lados da via (foto: Urbi/Divulgação)
A partir de 1º de janeiro de 2020, ônibus com portas também na lateral esquerda começarão a rodar na Estrada Parque Taguatinga (EPTG). As empresas Urbi Mobilidade e Expresso São José foram as primeiras a receber os novos modelos, que terão permissão para trafegar a partir da saída do centro de Taguatinga e acessar a bifurcação para o Setor de Indústrias Gráficas (SIG) e o Setor Policial Sul e para fazer o trajeto de volta. De acordo com a Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob), cerca de 40 coletivos com porta dos dois lados chegaram ao Distrito Federal. Ao todo, serão 160 novos veículos das empresas Urbi, São José e Marechal. Eles rodarão em 47 linhas, para atender a cerca de 56 mil passageiros.

Até esta terça-feira (10/12), a Urbi Mobilidade recebeu 10 novos ônibus. A previsão é de que cheguem mais 36 até o fim de dezembro. Cada um deles custou R$ 380 mil para a empresa. Na garagem da Expresso São José, estão 30 novos coletivos. Até 31 de dezembro, chegarão mais 30 ônibus exclusivos para trânsito na EPTG. O investimento total foi de R$ 25 milhões. O diretor da operadora, Adriel Lopes, conta que aguarda uma vistoria que será feita pela Semob em cada um dos veículos. “À medida que forem chegando, já serão avaliados. Com a aprovação, as mais de 15 linhas da São José que rodam na EPTG entrarão em operação na primeira semana de janeiro. Nenhum ônibus começa antes do outro. Todos começarão juntos”, explica Adriel.

Ele destaca que a empresa tem um leiaute diferente para os novos modelos de ônibus. Enquanto outras operadoras adotarão coletivos com cinco portas — três do lado direito e duas do esquerdo —, a Expresso São José adota uma entrada e uma saída em cada lado do veículo. “A gente quis fazer diferente para manter a maior quantidade de assentos. Quanto mais portas, menos cadeiras. Os nossos terão 36 assentos”, disse Adriel.

O diretor da São José avalia a medida como positiva para a população. Assim, segundo ele, será possível usar o corredor da EPTG de forma plena, já que haverá, pelo menos, três opções de linhas para quem utiliza a rodovia: semiexpressas, marginais e os novos com entrada e saída pelos dois lados. “Com isso, haverá diminuição, de fato, do tempo de viagem dos passageiros que utilizam a EPTG”, garante.

Fluidez

Para o professor de engenharia de tráfego da Universidade de Brasília (UnB) Paulo César Marques, essa é uma medida importante e que deveria existir há mais de 10 anos, “desde que a EPTG foi aberta naquela configuração”. Ele ressalta que é um atraso bem-vindo para a população e que o impacto vai ser positivo tanto para quem usa o transporte público quanto para quem anda em carro particular.

No entanto, segundo o especialista, uma nova mudança em menos de um ano pode causar confusão na cabeça de quem passa pela rodovia diariamente. “A reversão das faixas exclusivas não foi uma boa medida. Quando o GDF pensou que ajudaria no fluxo, não adiantou. Não trouxe benefícios”, avalia o professor. “Agora, os motoristas estão acostumados com o formato atual e vai mudar novamente. Haverá uma resistência inicial, mas acontecerá finalmente. É, sem dúvidas, algo positivo para toda a população”, afirma o professor Paulo César.

Memória

» Com 12,6km de extensão, a Estrada Parque Taguatinga 
(EPTG) foi inaugurada em setembro de 1977, com três faixas em cada sentido. Mas a Linha Verde, iniciada em 2009 na gestão de José Roberto Arruda, modificou completamente a via.

» O projeto original previa 17 passarelas, ciclovia, pista de rolamento exclusiva próximo ao corredor central e paradas de ônibus. A ideia era acabar com os engarrafamentos e incentivar o uso do transporte coletivo.

» Em 18 de março deste ano, o Governo do Distrito Federal iniciou um novo esquema. Nos horários de pico, as faixas exclusivas funcionam em sentido contrário para ônibus. As três faixas no sentido da via funcionam normalmente. A princípio, as alterações serão mantidas até 18 de março de 2020, prazo dado pelo governo às operadoras para que adquiram ônibus com portas de ambos os lados.

Dados 

47: número de linhas que terão os novos ônibus

160: total de coletivos que rodarão pela EPTG

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade