Publicidade

Correio Braziliense

VÍDEO: durante briga, policial militar atira e mata vizinho em Águas Claras

A discussão teria sido motivada por barulho. Vizinhos estão chocados e descrevem vítima como homem gentil e educado


postado em 11/12/2019 10:43 / atualizado em 20/12/2019 10:10

(foto: Lis Cappi/CB/ DA Press)
(foto: Lis Cappi/CB/ DA Press)
A discussão entre um policial militar e um vizinho acabou em tragédia no Areal, em Águas Claras. Kley Hebert Gusmão, 51, acabou baleado pelo PM e, socorrido ao Hospital Regional de Ceilândia (HRC), morreu horas depois. O crime teria ocorrido após desavenças supostamente iniciadas por conta de barulho. (Veja vídeo abaixo).
 
Uma moradora, que preferiu não se identificar, afirma que ficou surpresa e entristecida com a situação. Ela relata que Kley era uma boa pessoa e "não merecia passar por isso". Ela descreve a vítima como um homem gentil, educado e prestativo. "Não fazia mal a ninguém. Inclusive cuidava do jardim pra gente. Acho que foi um motivo banal que não precisava terminar assim. O mundo hoje precisa de mais empatia e amor", defende. 
 
Uma vizinha de outro bloco confirma que Kley era uma boa pessoa. "A gente sempre conversava. Ele levava presentes em casa. Deixava na porta e ia embora. Depois perguntava se a gente tinha encontrado o que ele deixou. Era uma pessoa muito receptiva. Era até carente. Cumprimentava todo mundo que passava", completa. A mulher questionou o motivo do policial descer até a guarita do prédio com uma arma na cintura. "Estava de pijama e com arma. Acho que não precisava" disse. 

O policial que cometeu o disparo não teve o nome revelado pela polícia. Segundo moradores com quem a reportagem conversou, ele vive em um dos blocos do edifício com a mulher e a filha. Ele teria reclamações constantes sobre os barulhos feitos por Kley Hebert. 
 
Moradores confirmam que Kley tinha o hábito de falar sozinho e, às vezes, ouvia-se gritos do apartamento dele. Ele vivia sozinho no imóvel. Por causa desse comportamento, alguns vizinhos tinham receio de se aproximar dele.  

O crime 

O crime ocorreu por volta das 22h20 de segunda-feira (9/12). De acordo com o registro da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), o policial se dirigia à portaria do prédio para registrar uma reclamação por perturbação. Ele se encontrou com Kley nas escadas de um dos blocos, e os dois começaram uma briga física. 

O policial teria disparado por receio de ter a arma retirada. Em seguida, teria solicitado o socorro médico para atender o morador. O militar teria se apresentado na 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Sul) para registrar a ocorrência. 
 
Em nota oficial, a Polícia Militar informou que o policial se apresentou voluntariamente na DP e que a corporação "já iniciou os procedimentos legais relacionados ao caso". 
 
*Estagiária sob supervisão de Adriana Bernardes

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade