Publicidade

Correio Braziliense

Comércio do DF deve receber 400 mil pessoas neste fim de semana

Alta nas vendas pode atingir pico de 12% no penúltimo fim de semana antes do Natal. Expectativa é alta por conta do pagamento do 13º


postado em 11/12/2019 16:28 / atualizado em 11/12/2019 16:31

Sindivarejista estima crescimento de até 12% no comércio este ano(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
Sindivarejista estima crescimento de até 12% no comércio este ano (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
Mais de 400 mil pessoas devem ir às lojas do comércio no Distrito Federal entre a próxima sexta-feira (13/12) e domingo (15/12). A projeção do Sindicato do Comércio Varejista (Sindivarejista) é que as pessoas usem o 13º salário para ir às compras de fim de ano, o que pode indicar um crescimento com pico de 12%. A média prevista é de 7%, maior que os 4% do mesmo período de 2018.

 

Os estabelecimentos investiram mais de R$ 20 milhões em decoração, mídia e prêmios para incentivar o consumo. Conforme expectativa do Sindivarejista, os shoppings da capital federal devem receber mais de 95 mil pessoas por dia neste penúltimo fim de semana antes do Natal. Os setores que mais devem lucrar com as vendas são brinquedos, roupas, calçados, perfumes e objetos para o lar. Espera-se que o uso do 13º salário para as compras movimente, até o próximo dia 20, R$ 7,6 bilhões, contra R$ 7,5 bilhões do ano passado.


Apesar da alta expectativa em cima do 13º, o cartão de crédito é o queridinho dos clientes na hora de pagar pelas mercadorias: 95% das compras serão finalizadas deste modo. Outro ponto destacado pelo sindicato é que a média dos gastos com presentes deve ficar em R$ 260, enquanto que, em 2018, ficou em R$ 240. 

Para Edson de Castro, presidente do Sindivarejista, o crescimento lucrativo do comércio neste ano se deve à queda dos juros e da inflação, dando maior poder de compra aos brasilienses. “Com a recuperação da economia, a inadimplência caiu e as vendas vêm crescendo. Até agosto, eram 800 mil famílias com dívidas, mas esse total recuou em setembro para 690 mil”, explica. 

Ainda de acordo com o sindicato, as dívidas são referentes aos atrasos nos pagamentos envolvem mensalidade escolar, condomínio, carnês, cartão de crédito e financiamento de carro. Para conseguir consumir no fim do ano, os brasilienses pretendem quitar estas contas com parte do 13º salário e, o restante, investir nos presentes. 

O sindivarejista também conta com a liberação de saques do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e do Programa de Integração Social e Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PIS/Pasep) para alcançar o crescimento financeiro do setor: mais de R$ 30 milhões foram recebidos desse modo por trabalhadores do DF.  “Em todos os últimos quatro fins de semana, as lojas têm recebido consumidores que fazem compras para o Natal. Isso gera empregos e renda, além de expandir a economia”, afirma Edson de Castro.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade