Publicidade

Correio Braziliense

Desaparecimento de brasiliense na Chapada completa 10 dias; buscas seguem

Jacob Vilar Santana desapareceu no domingo (1º/12) no Vale da Lua, região de Alto Paraíso (GO)


postado em 11/12/2019 17:49 / atualizado em 11/12/2019 18:27

Cerca de 20 bombeiros trabalham nas buscas(foto: Arquivo Pessoal)
Cerca de 20 bombeiros trabalham nas buscas (foto: Arquivo Pessoal)
O desaparecimento do brasiliense Jacob Vilar Santana, 31 anos, analista de sistema, completa 10 dias nesta quarta-feira (11/12). Em 1º de dezembro, o jovem, morador de São Paulo, levou a namorada, Jéssica Zafalon, para conhecer o Vale da Lua, no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Alto Paraíso (GO). Por volta das 15h, ele foi atingido por uma cabeça d'água, e levado pela correnteza. Jéssica conseguiu segurar em uma pedra e foi resgatada.

 

"A gente precisa de apoio. Cada dia que passa é uma angústia maior para a gente. Estamos sofrendo bastante", diz Johnatan Nascimento, 31 anos, comerciante e amigo de infância de Jacob. Ele descreve o jovem como uma pessoa que gosta de aproveitar a vida, alegre e muito próxima dos irmãos, Alan e Aline Vilar, que acompanham cada passo das buscas. "A situação dói muito na gente, porque não podemos fazer nada, estamos nas mãos dos bombeiros", afirma.

 

Vale da Lua, região em que o rapaz desapareceu(foto: Arquivo Pessoal)
Vale da Lua, região em que o rapaz desapareceu (foto: Arquivo Pessoal)
 

 

Os trabalhos para localizar o rapaz começaram no dia seguinte ao desaparecimento. Segundo Johnatan, isso aconteceu porque não havia bombeiros no local, sendo necessário chamar profissionais de Planaltina (GO). No fim do primeiro dia de buscas, moradores da região acharam o colete de Jacob, o que deu esperança a amigos e familiares, uma vez que o equipamento é resistente e difícil de ser retirado. Na quarta-feira (4/12), chegou ao Vale da Lua um helicóptero para reforçar a atuação, mas, até o momento, nada foi encontrado.

 

Na terça-feira (10/12), os bombeiros estavam com uma equipe de 16 pessoas. Nesta quarta (11/12), são mais de vinte profissionais atuando na operação. De acordo com o Corpo de Bombeiros Militar de Goiás, cães farejadores foram encaminhados ao local e estão sendo realizadas buscas nas matas e às margens do rio. O período de chuva dificulta a ação dos bombeiros.

 

Outras pessoas estavam no local no momento em que a queda d' água atingiu a região, mas foram alertados a tempo por socorristas sobre a situação. Segundo Janaina Figueiredo, 40, jornalista e amiga de Jacob, há uma placa na região indicando as normas de visitação e dizendo que em épocas de cheias o local será fechado. Porém, isso não teria acontecido no dia do desaparecimento. A reportagem tenta contato com os responsáveis pelo parque e pelo Vale da Lua. 

 

Placa na entrada do Vale da Lua (foto: Arquivo Pessoal)
Placa na entrada do Vale da Lua (foto: Arquivo Pessoal)
 

 

*Estagiária sob supervisão de Fernando Jordão 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade