Publicidade

Correio Braziliense

Acusado é preso durante sequestro relâmpago no Setor Bancário Sul

Vítima foi obrigada a sacar R$ 4 mil e US$ 2 mil. Funcionários da agência desconfiaram da movimentação e acionaram a polícia


postado em 11/12/2019 20:02 / atualizado em 11/12/2019 20:51

A vítima foi obrigada a realizar saques, mas teve o dinheiro recuperado(foto: PMDF/Divulgação)
A vítima foi obrigada a realizar saques, mas teve o dinheiro recuperado (foto: PMDF/Divulgação)
Uma mulher foi feita refém por pelo menos um criminoso, que a obrigou a realizar saques de R$ 4 mil e US$ 2 mil, em um agência do Setor Bancário Sul (SBS). O sequestro relâmpago ocorreu nesta quarta-feira (11/12) e um acusado acabou preso em flagrante por roubo com restrição de liberdade. Há a suspeita do envolvimento de outros dois bandidos, os quais não haviam sido identificados até a mais recente atualização desta matéria. 
 
Segundo relato da vítima à Polícia Militar, três criminosos a renderam por volta das 9h, no Sudoeste. A polícia, contudo, não divulgou o local exato da aborgadem. A mulher foi forçada a entrar em um carro e seguir até o SBS. Ali, os ladrões a obrigaram a realizar diversos saques. Um dos suspeitos ficou ao lado dela, enquanto os demais permaneciam no veículo, observando toda a movimentação.
 
A vítima realizou dois saques e o gerente da agência bancária percebeu a movimentação estranha. Os seguranças do estabelecimento comercial, então, acionaram a PMDF. A equipe chegou ao banco e rendeu o acusado que acompanhava a vítima. Os outros dois conseguiram fugir, mas não levaram nenhuma quantia do dinheiro.
 
Vítima e suspeito foram encaminhados à 5ª Delegacia de Polícia (Área Central), onde houve o registro da ocorrência. Como roubo com restrição de liberdade é um crime inanfiançável na esfera policial, o acusado foi encaminhado para o Departamento de Controle e Custódia de Presos (DCCP) da Polícia Civil, localizado no Parque da Cidade. Ele permanecerá detido até audiência de custódia, quando o juiz decidirá se transforma a prisão em preventiva ou se o acusado responderá em liberdade.  
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade