Publicidade

Correio Braziliense

Obra de túnel entre Taguatinga e EPTG tem autorização para ser retomada

Trabalhos estavam suspensos desde 2016, quando consórcio que perdeu a licitação entrou com representação no Tribunal de Contas do DF alegando irregularidades envolvendo uma das empresas do grupo vencedor


postado em 19/12/2019 15:52 / atualizado em 19/12/2019 19:26

Intervenção criará ligação a partir da Avenida Elmo Serejo(foto: Breno Fortes/CB/D.A Press - 23/5/2018)
Intervenção criará ligação a partir da Avenida Elmo Serejo (foto: Breno Fortes/CB/D.A Press - 23/5/2018)
As obras do túnel que ligará a Avenida Elmo Serejo à Estrada Parque Taguatinga (EPTG) receberam autorização judicial para continuar. Em decisão unânime, divulgada pelo Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) nesta quarta-feira (19/12), os integrantes da corte votaram com o relator para dar prosseguimento à execução contratual. Os trabalhos estavam suspensos desde 2016.

Os problemas com o andamento das obras começaram naquele ano, depois de a terceira colocada entre as empresas participantes da licitação entrar com uma representação judicial no TCDF. No documento, o Consórcio Taguatinga, formado por Odebrecht e Serveng-Civilsan, questionava a habilitação do consórcio vencedor — composto pela WVG Construções e Infraestrutura Ltda., além de outras quatro companhias — para atuar nas obras.

De acordo com o exposto na representação, a WVG seria subsidiária integral da Construtura Beter S/A, declarada inapta para fechar contratos com a administração pública. Ao TCDF, coube a responsabilidade de decidir se a penalidade imposta à Beter deveria se estender à primeira. 

No entanto, recentemente, a Secretaria de Obras e Infraestrutura do Distrito Federal e o Novo Túnel — consórcio vencedor — informaram que a WVG deixou de fazer parte do grupo que cuidará da construção. A mudança teve manifestação favorável por parte da Procuradoria-Geral do DF e o TCDF decidiu pela continuidade da execução do contrato.


Financiamento federal


Em novembro, o vice-governador Paco Britto (Avante) afirmou que as obras devem recomeçar no ano que vemO contrato foi firmado em 2013, após abertura de licitação pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap). A previsão inicial era de que a construção custasse R$ 266 milhões, mas o consórcio vencedor apresentou contrato no valor de R$ 199 milhões. A intervenção, que faz parte do Corredor Eixo-Oeste, teria financiamento da União se tivesse sido retomada até dezembro de 2016.

O projeto original compreende a construção de um túnel de, aproximadamente, 830 metros sob a Avenida Central de Taguatinga, além do alargamento de pistas e da construção de faixas exclusivas nas principais vias de acesso à cidade.

A Secretaria de Obras e Infraestrutura informou que deve ficar pronta em dois anos após o início dos trabalhos. A mudança deve impactar os cerca de 135 mil veículos que trafegam pela área diariamante e evitar a retenção de veículos no centro de Taguatinga.

"Com a conclusão da obra, os carros que estiverem na Avenida Elmo Serejo, sentido Plano Piloto, mergulharão pelo túnel e sairão na Estrada Parque Taguatinga (EPTG). Do outro lado, aqueles que chegarem a Taguatinga pela EPTG passarão por ele até o início da Via Estádio, saindo logo após o viaduto da Avenida Samdu. Vias marginais darão acesso às Avenidas Comerciais e Samdu Sul e Norte", detalhou a pasta em nota.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade