Publicidade

Correio Braziliense

Polícia Civil investiga incêndio em templo umbandista em Planaltina

Um cômodo do terreiro pegou fogo na noite da última quarta-feira (25) e teve roupas e objetos roubados. Ninguém ficou ferido


postado em 27/12/2019 12:10 / atualizado em 27/12/2019 12:27

O Templo Umbandista Cabocla Jurema (TUCJ) é um dos mais antigos do DF e completa 50 anos em janeiro(foto: Arquivo Pessoal)
O Templo Umbandista Cabocla Jurema (TUCJ) é um dos mais antigos do DF e completa 50 anos em janeiro (foto: Arquivo Pessoal)
A Polícia Civil investiga as causas de um incêndio no Templo Umbandista Cabocla Jurema (TUCJ), em Planaltina. Um cômodo do terreiro pegou fogo na noite da última quarta-feira (25). De acordo com os responsáveis do local, roupas e objetos também foram roubados. Ninguém ficou ferido.

A zeladora, Mãe Maria de Oxum, contou ao Correio que esteve no templo durante todo o feriado de Natal e, por volta das 17h30, foi para casa, em Sobradinho. Na quinta-feira (26/12), pela manhã, pediu para a nora ir ao terreiro alimentar os animais que ficam abrigados ali. Chegando no local, a mulher viu o cômodo destruído.

''Ela encontrou tudo ainda quente, nem precisamos acionar os bombeiros. Quando voltou para me contar eu fiquei desesperada e fui correndo para lá. Chorei muito, passei mal, porque a gente luta para construir as coisas e acontece algo assim. O sentimento é de muita tristeza, não tem palavras para expressar tamanha dor'', disse a zeladora. 

A porta de um dos cômodos do templo estava com sinais de arrombamento. A Polícia Civil investiga(foto: Arquivo Pessoal)
A porta de um dos cômodos do templo estava com sinais de arrombamento. A Polícia Civil investiga (foto: Arquivo Pessoal)
No cômodo incendiado eram guardadas as roupas de santo, tambores e outros objetos usados durante as sessões umbandistas. ''A gente acredita que o incêndio foi criminoso, porque a porta de um dos cômodos de alvenaria foi arrombada e os atabaques (tambores) foram roubados'', contou o presidente do TUCJ, Paulo Britto. A Polícia Civil chegou no local na manhã desta sexta-feira (27/12) para realizar a perícia.

Segundo Paulo, essa não é a primeira que vez que o templo é atacado. ''Já cortaram a energia outras vezes. Sofremos muita intolerância, mas dessa vez foi demais. Registramos ocorrência na 13ª Delegacia de Polícia (Sobradinho) e hoje vamos na Decrin (Delegacia Especial de Repressão aos Crimes por Discriminação Racial, Religiosa ou por Orientação Sexual ou Contra a Pessoa Idosa ou com Deficiência)'', disse Paulo.

O Templo Cabocla Jurema é um dos mais antigos do Distrito Federal e completa 50 anos em janeiro de 2020. Apesar do incêndio, na virada de ano, na próxima terça-feira (31/12), será realizada a festa de Iemanjá. ''Mesmo sem as roupas de santo e até sem energia vamos fazer a comemoração. O importante é a festa, os orixás entendem. Agora, esperamos que a polícia encontre quem fez isso'', completa a Mãe Maria de Oxum.
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade