Cidades

Dívida de R$ 11 mil motivou assassinato na Estrutural, diz polícia

O crime ocorreu em 11 de janeiro, na região administrativa. O suspeito está preso desde 2 de janeiro

Sarah Peres
postado em 06/01/2020 19:33
O suspeito foi preso com a arma do crimeO assassinato de Marcos Alves dos Santos, 34 anos, foi motivado por uma dívida de R$ 11 mil. A vítima devia o valor em decorrência de uma compra de lote na Cidade Estrutural. O caso ocorreu em 11 de novembro, no Conjunto 2, Quadra 1 do Setor Oeste da região administrativa. O suspeito, de 41 anos, foi preso pelo homicídio em 2 de janeiro.
Segundo o delegado Rodrigo Bonach, chefe da 8; Delegacia de Polícia (SIA), o acusado foi identificado por meio de testemunhas do assassinato. "Além disso, os conhecidos da vítima destacaram a dívida por causa do lote. Apuramos que Marcos Alves comprou o lote em 2018 por R$ 22 mil. Ele pagou metade do valor e parcelou o restante, mas atrasou o pagamento. Isso se arrastou por todo o ano de 2019", explica.
No dia do crime, o suspeito decidiu ir até a casa da vítima e cobrar mais uma vez a dívida. Ele foi armado com uma pistola calibre 7,65 e, em meio a conversa, se alterou. "Não houve nenhuma chance de defesa da vítima. Marcos Alves até tentou correr, mas não conseguiu e foi atingido no tórax e na cabeça", acrescenta Bonach.
O suspeito, Marcos Damião de Morais, 41, cumpria pena em regime domiciliar por dois assassinatos e cinco tentativas de homicídios, cometidos em 2005. "É uma pessoa perigosa e que só andava armado. É alguém que vivia com a sede de vingança, sobretudo após o homicídio do filho, no ano passado. Então, acreditamos que a conclusão desse homicídio trará, sim, mais segurança e tranquilidade aos moradores da Cidade Estrutural", afirma o investigador.
O acusado está detido temporariamente, mas a Justiça pode converter a prisão para preventiva (sem tempo para acabar). Ele acabou preso quando dirigia o carro dele, um Fiat Strada, pela EPIA. No automóvel, estava o artefato utilizado no assassinato, que tem a numeração de série suprimida. Ele responde por homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e sem chance de defesa da vítima; além de porte ilegal de arma de fogo.
"Após ser preso, Marcos Damião não demonstrou qualquer remorso quanto ao caso. Confessou e trouxe os detalhes acerca dessa dívida que tinha com a vítima, quem também era envolvida no mundo da criminalidade. Tinha diversas passagens, incluindo roubo, furto, tráfico de drogas, receptação, corrupção de menores e tentativa de homicídio", finaliza o delegado Rodrigo Bonach.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação