Publicidade

Correio Braziliense

Morre o relações públicas do Senado Marco Antônio Malachias, aos 56 anos

Marco Antônio Malachias foi um dos responsáveis pela organização da cerimônia de posse de Lula como presidente do Brasil, em 2003


postado em 12/01/2020 12:59 / atualizado em 12/01/2020 18:06

O humor ácido e irônico, o jeito brincalhão e a
O humor ácido e irônico, o jeito brincalhão e a "rabugice" marcaram um personagem considerado folclórico para os colegas do Senado (foto: Arquivo Pessoal )
Morreu, aos 56 anos, o relações públicas do Senado Federal Marco Antônio Malachias. Formado em Relações Públicas pelo Centro Universitário de Brasília (UniCeub), Marco trabalhava na Casa desde 1998, onde ingressou por concurso público. Ele estava internado no Hospital Sírio-Libanês de Brasília e morreu no sábado (11/1) vítima de um câncer agressivo no mediastino.

Mineiro da cidade de Itapecerica, Marco era um dos responsáveis pelo serviço de eventos e comunicação do Senado. Em 22 anos como servidor da Casa, acompanhou diversas eventos oficiais e, entre os trabalhos mais importantes, coordenou a cerimônia de posse do primeiro mandado de Lula como presidente do Brasil, em 2003.

O humor ácido e irônico, o jeito brincalhão e a "rabugice" marcaram um personagem considerado folclórico por vários colegas com que conviveu no Senado. "Era uma pessoa muito querida, de humor interessante, alegre e gostava de cozinhar para os amigos. Estamos muito tristes com a perda, pois ele queria muito viver", comenta Lu Caldas, amiga de Marco desde os tempos de faculdade.

Os amigos, aliás, eram uma parte importante da vida de Marco. E eles não o deixaram sozinho nos últimos meses. Desde que recebeu a notícia de que tinha o tumor, em maio de 2019, um grupo de quase 70 pessoas se revezou para cuidar de Malachias nos dias de internação. "No início, tinha até briga para ver quem ia ficar com ele no hospital. Logo no início da doença, o quarto dele parecia uma festa, cheio de amigos", conta Lu.

Cefas Siqueira, atual diretor de Relações Públicas do Senado Federal e amigo pessoal de Marco, lembra com carinho das viagens e trabalhos que realizaram juntos. "Éramos grandes amigos, viajamos o mundo quase todo. Vai ficar a lembrança da amizade e das brigas, somos dois rabugentos e eu sempre falava que o amava. Ele era um grande irmão", comenta. 

Marco Antônio Malachias era divorciado e não tinha filhos. Ele deixa a mãe, Cecília Malachias, de 80 anos, três irmãos e sobrinhos. O velório está marcado para acontecer na segunda-feira (13/1) na Capela 1 do Campo da Esperança, na Asa Sul, a partir das 8h. Às 11h o corpo seguirá, em cortejo, para o Crematório de Valparaíso de Goiás, onde será realizada a cerimônia de cremação.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade