Publicidade

Correio Braziliense

Caso Larissa: suspeito mantinha relacionamento extraconjugal com a vítima

Polícia Civil acredita que o acusado, de 20 anos, queimou a roupa e a genitália da mulher para destruir provas


postado em 16/01/2020 16:19 / atualizado em 16/01/2020 16:19

Larissa é a primeira vítima de feminicídio no DF em 2020(foto: Facebook / Reprodução)
Larissa é a primeira vítima de feminicídio no DF em 2020 (foto: Facebook / Reprodução)
Agentes da 11ª Delegacia de Polícia (Núcleo Bandeirante) prenderam, no fim da tarde de quarta-feira (15/1), o acusado de matar a diarista Larissa Francisco Maciel, 23 anos. O homem, de 20 anos, acabou detido na Candangolândia

Segundo o delegado Rafael Ferreira Bernardino, chefe da 11º DP, vítima e suspeito estavam juntos há cerca de dois meses. "O acusado é casado, mas se relacionava com Larissa. No dia do crime, eles foram juntos até a tenda (do templo religioso). Ali, ele cometeu o assassinato", explica. 

O investigador não informou a motivação do crime. "O que podemos dizer é que ela foi para o local por vontade própria. Em depoimento, ele confirmou ter cometido o homicídio, mas não passaremos detalhes", frisou Bernardino.

Conforme laudo inicial do Instituto de Medicina Legal (IML), Larissa morreu por esganadura, sofreu um golpe na cabeça e teve a roupa e a genitália queimadas. "Ele comprou um galão de gasolina, após matar a vítima, e ateou fogo. Acreditamos que a intenção dele era destruir provas que levassem até a autoria", acrescenta o delegado.

Para saber mais

Reconhecido como crime hediondo desde 2015, o feminicídio consiste no assassinato de mulheres por razão de gênero. Conhecer as nuances e as características que envolvem esse tipo de violação é fundamental para ter um enfrentamento efetivo e evitar que existam novas vítimas.

Fonte: Agência Patrícia Galvão 

Onde pedir ajuda
» Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência 
Presidência da República / Telefone: 180 (disque-denúncia);

» Centro de Atendimento à Mulher (Ceam) / De segunda a sexta-feira, das 8h às 18h / Locais: 102 Sul (Estação do Metrô), Ceilândia e Planaltina;

» Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) / Entrequadra 204/205 Sul, Asa Sul / (61) 3207-6172;

» Disque 100 — Ministério dos Direitos Humanos / Telefone: 100;

» Programa de Prevenção à Violência Doméstica (Provid)  da Polícia Militar / (61) 3910-1349 ou (61) 3910-1350   

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade