Publicidade

Correio Braziliense

Acusado de matar esposa a facada e abandoná-la no HRG vai a júri popular

Tiago de Souza Joaquim será julgado pelo primeiro feminicídio de 2019. Réu esfaqueou Vanilma Martins dos Santos no tórax e a abandonou ferida


postado em 17/01/2020 19:41 / atualizado em 17/01/2020 19:42

Tiago de Souza Joaquim, 33 anos, irá a júri popular, na próxima terça-feira (21/1)(foto: Facebook/Reprodução)
Tiago de Souza Joaquim, 33 anos, irá a júri popular, na próxima terça-feira (21/1) (foto: Facebook/Reprodução)
Acusado de matar a esposa, Vanilma Martins dos Santos, 30 anos, com uma facada no tórax, Tiago de Souza Joaquim, 33, irá a júri popular na próxima terça-feira (21/1). O crime ocorreu em 5 de janeiro do ano passado, no Setor Leste do Gama, e foi o primeiro feminicídio registrado, em 2019. Após esfaquear a dona de casa, Tiago a abandonou no hospital regional da região administrativa. Ele aguarda o julgamento preso.

Tiago e Vanilma eram companheiros, moravam na mesma casa e tinham um filho, de três anos à época. O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) pede a condenação de Tiago de Souza pelo crime, com o agravante de três qualificadoras. Segundo o MPDFT, o homicídio foi cometido por motivo fútil (uma discussão), sem que a vítima pudesse se defender, além de ser praticado contra mulher em contexto de violência doméstica e familiar. 

O caso

O crime ocorreu na madrugada de 5 de janeiro de 2019, no Setor Leste do Gama. Segundo o Ministério Público, Tiago chegou à casa embriagado e discutiu com Vanilma. Em seguida, atingiu a dona de casa com uma facada no tórax. O filho do casal tinha três anos à época e estava na casa no momento do crime.

Após esfaquear Vanilma, Tiago a colocou ferida no carro e a deixou em frente ao Hospital Regional do Gama (HRG). A facada atingiu o pulmão da dona de casa, que passou por duas cirurgias, mas não resistiu. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade