Publicidade

Correio Braziliense

Suspeito de matar mulher no Núcleo Bandeirante é encontrado morto

O corpo do homem foi encontrado na segunda-feira (20/1), próximo a residência dele, no Riacho Fundo 1. O caso é investigado na 11 Delegacia de Polícia


postado em 21/01/2020 13:22 / atualizado em 21/01/2020 14:17

Fátima tinha 31 anos. Ela foi encontrada sem vida em um apartamento no Núcleo Bandeirante (foto: Redes Sociais)
Fátima tinha 31 anos. Ela foi encontrada sem vida em um apartamento no Núcleo Bandeirante (foto: Redes Sociais)
Um homem identificado como Atevaldo Sobral Santos foi encontrado morto na tarde de segunda-feira, (20/1), no Riacho Fundo I. Ele é o principal suspeito de assassinar brutalmente Fátima Lisboa, 31 anos, em um apartamento do Núcleo Bandeirante. De acordo com a Policia Civil, o assassino tirou a própria vida após cometer o crime.

A suspeita é de que Fátima foi assassinada por Atevaldo com golpes na cabeça entre 11h e 13h da segunda-feira. O corpo da mulher foi encontrado apenas nesta terça-feira, (21/1), após amigos e familiares tentarem contato repetitivamente com a vítima.

Polícia Civil faz perícia no local do crime(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Polícia Civil faz perícia no local do crime (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Segundo a Polícia Militar, ela não atendia o telefone, nem abria a porta da residência desde a tarde de ontem. Amigos conseguiram entrar na casa e encontraram Fátima sem vida, caída na copa da casa. A 11° Delegacia de Polícia (Núcleo Bandeirante) investiga o crime. 

Onde pedir ajuda

» Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência da Presidência da República / Telefone: 180 (disque-denúncia);

» Centro de Atendimento à Mulher (Ceam) / De segunda a sexta-feira, das 8h às 18h / Locais: 102 Sul (Estação do Metrô), Ceilândia e Planaltina;

» Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) / Entrequadra 204/205 Sul, Asa Sul / (61) 3207-6172;

» Disque 100 — Ministério dos Direitos Humanos / Telefone: 100;

» Programa de Prevenção à Violência Doméstica (Provid)  da Polícia Militar / (61) 3910-1349 ou (61) 3910-1350

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade