Publicidade

Correio Braziliense

Polícia procura jovem de 19 anos suspeito de matar motorista de aplicativo

Jovem de 19 anos é apontado como autor do assassinato de Aldenys da Silva, encontrado morto no sábado


postado em 22/01/2020 06:00

Segundo o tio, Aldenys tentava juntar dinheiro para pagar curso(foto: Arquivo Pessoal)
Segundo o tio, Aldenys tentava juntar dinheiro para pagar curso (foto: Arquivo Pessoal)
A 19ª Delegacia de Polícia (Setor P Norte) identificou e procura por um jovem de 19 anos acusado de matar o motorista de aplicativo Aldenys da Silva, 29. Os investigadores acreditam que o latrocínio (roubo seguido de morte) ocorreu em 3 de janeiro, mesma data do desaparecimento da vítima. O corpo do jovem foi encontrado no último sábado, às margens da BR-070, em Brazlândia, em avançado de decomposição. Por causa disso, o reconhecimento só ocorreu na segunda-feira.

Na tarde desta terça-feira (21/1), os investigadores escutaram cinco pessoas, incluindo a ex-namorada e uma amiga da vítima.Segundo o delegado Sérgio Bautzer, o objetivo da investigação é refazer as últimas 24 horas anteriores ao desaparecimento de Aldenys. “Ontem, passamos mais de uma hora com as três pessoas que encontraram o corpo da vítima. Ali, tentamos entender como ocorreu a ocultação do cadáver, por se tratar de um lugar ermo. A impressão que fica é que o local foi escolhido aleatoriamente”, afirmou.

Agora, equipes da 19ª DP procuram imagens de câmeras de segurança de vias públicas e das rodovias que possam ter captado a vítima ou o suspeito. Além disso, será realizada uma análise das corridas solicitadas no perfil de Aldenys no aplicativo de viagens, entre 1º e 3 de janeiro. “Também esperamos os resultados dos laudos cadavérico e do local onde o corpo foi encontrado. Trabalhamos com a hipótese de latrocínio, mas não descartamos nenhum outro delito”, acrescentou Bautzer.

Justiça

O corpo de Aldenys deve ser velado e sepultado nesta quinta-feira (23/1), em Ventura, distrito do município de Alcântaras (CE), cidade natal da família do jovem. O tio dele, o técnico de ar-condicionado Luís Silva, 43, afirma esperar que o autor do crime seja preso e julgado.

Luís lembra que Aldenys cursou, por dois anos, a faculdade de direito. Precisou trancar o curso por questões financeiras. “Uma amiga dele pediu um dinheiro emprestado e não devolveu. Isso fez com que meu sobrinho adiasse os sonhos de se formar. Mas, por ser muito dedicado, decidiu se esforçar e passar horas atrás do volante para conseguir o juntar uma quantia que pudesse manter os estudos”, relatou.

“Meu sobrinho era uma pessoa maravilhosa, dedicada e nunca se envolveu em confusão. É o que mais nos deixa revoltados. Ele tinha um coração bom e, em vários momentos, não via maldade onde existia. Acho que isso ocorreu no dia do crime. Ele era aquela pessoa que acreditava no melhor dos outros”, completou.

O tio ainda destaca que a mãe de Aldenys é a mais abalada com a perda abrupta. “O que todos queremos é que a justiça seja feita. Quem matou meu sobrinho precisa ser preso. Ele não pode continuar solto. E se ele fizer outra vítima? Será mais uma família destruída, assim como a minha. Ele tirou nosso chão e os sonhos que Aldenys tinha para a vida dele”, lamentou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade