Publicidade

Correio Braziliense

Sejus normatiza tratamento à comunidade LGBTI no socioeducativo

A iniciativa promove cursos de formação inicial e continuada para preparar profissionais das unidades socioeducativas quanto ao tratamento humanizado da população


postado em 27/01/2020 19:43 / atualizado em 27/01/2020 19:47

(foto: Divulgação/Sejus)
(foto: Divulgação/Sejus)
A Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus) publicou, nesta segunda-feira (27/1), a Portaria nº 4 no Diário Oficial da União que normatiza tratamento humanizado aos jovens e adolescentes LGBTI no sistema socioeducativo do Distrito Federal. Entre os direitos presentes estão o respeito ao nome social, o uso de vestimentas em acordo com a identidade de gênero e o acesso aos tratamentos hormonais e biopsicossocial de acompanhamento de seus processos de transição de gênero.


Segundo o secretário, Gustavo Rocha, a iniciativa é a primeira no âmbito do DF para o direcionamento e normatização do tratamento à população atendida. “O atendimento digno e respeitoso já ocorria nas unidades, que buscavam assegurar a esses adolescentes o direito de serem chamados pelo nome social e o reconhecimento da sua identidade de gênero. Mas, agora, isso foi transformado em regra”, explica.

 

A portaria proíbe qualquer forma de discriminação baseada na orientação sexual e identidade de gênero dos adolescentes e jovens acompanhados pelo Núcleo de Atendimento Integrado (NAI). Além disso, estabelece a realização de cursos de formação inicial e continuada para preparar e capacitar profissionais das unidades em relação à perspectiva dos direitos humanos.

 

Com informações da Secretaria de Justiça e Cidadania

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade