Publicidade

Correio Braziliense

''Bolsonaro deveria orientar seu ministro'', diz Ibaneis sobre Moro

O emedebista ressaltou a preocupação com a segurança pública do DF e com a Penitenciária Federal de Brasília


postado em 28/01/2020 12:38 / atualizado em 28/01/2020 12:38

(foto: Renato Alves/Agência Brasília)
(foto: Renato Alves/Agência Brasília)
Após anunciar um pacote de obras que serão feitas no Distrito Federal, o governador da capital do país, Ibaneis Rocha (MDB), reclamou da distância do Ministério da Justiça e Segurança Pública com as unidades da federação. "Existe uma reclamação, que não é só minha, mas de muitos governadores, no sentido do distanciamento do ministro Moro em relação aos governadores e secretários de estado", comentou.

 

O emedebista ressaltou que tem preocupação com a segurança pública do DF e frisou estar sendo "muito duro" com a Penitenciária Federal de Brasília.

 

"Eu nunca fui convidado pelo ministro Moro para tratar sobre a segurança pública do Distrito Federal e assim tem sido com a maioria dos governadores. Acho que o presidente Bolsonaro é um homem muito inteligente e deveria orientar o seu ministro", afirmou. Em seguida, Ibaneis destacou que política de segurança deve ser integrada.

 

Ainda no sentido da segurança, o governador informou que 700 policiais militares devem ser convocados na próxima semana.

Pacote de obras 

O chefe do Executivo anunciou pacote de obras no âmbito da educação e saúde, além da infraestrutura no DF. Dentro do projeto, a expectativa é que asfaltos sejam recuperados e que ocorram manutenção de calçadas e podas de árvores.

 

Além disso, o governador revelou que o GDF vai divulgar nos próximos dias cronograma de reformas em escolas. "Hoje, entregamos cinco creches e queremos inaugurar mais cinco até o fim do ano", garantiu. Na área da saúde, o governador prometeu a construção de sete Unidades de Pronto Atendimento (UPA). 

Escola de robótica

Após anunciar pacote de reformas, o governador seguiu para o Paranoá para o lançamento de uma escola de robótica. A ação faz parte do programa Passaporte para o Futuro, que prevê a criação de mais 13 unidades em outras cidades do Distrito Fededal.

 

De acordo com o emedebista, a escola aproximará os jovens do Paraonoá do universo tecnológico, mantendo-os ainda mais interessados na educação. "Quero terminar meu mandato com 40 laboratórios prontos. As crianças precisam de tecnologia" frisou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade