Publicidade

Correio Braziliense

Valdir Oliveira, do Sebrae-DF, vê cenário otimista na economia em 2020

Em entrevista ao CB.Poder, parceria do Correio Braziliense com a TV Brasília, Valdir Oliveira se diz otimista e afirma que os empresários estão mais confiantes


postado em 10/02/2020 15:40 / atualizado em 10/02/2020 16:57

Para Valdir Oliveira, os brasilienses estão acreditando mais e os sinais são positivos para a recuperação da economia(foto: Mariane Silva/Esp. CB/D.A Press)
Para Valdir Oliveira, os brasilienses estão acreditando mais e os sinais são positivos para a recuperação da economia (foto: Mariane Silva/Esp. CB/D.A Press)
Em entrevista ao CB.Poder nesta segunda-feira (10/2), parceria do Correio Braziliense com a TV Brasília, o superintendente do Sebrae-DF, Valdir Oliveira, se disse otimista com as perspectivas da economia em 2020. Ele afirmou que os brasilienses estão mais confiantes e que os sinais são positivos para a recuperação, em especial para os micros e grandes empresários.

''O Sebrae é o termômetro. Em 2019, batemos o recorde de atendimento. Nunca na história do Sebrae-DF se atendeu tantos empreendedores como no ano passado. Foram 78 mil empreendedores, CNPJs (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica). Significa que a confiança voltou e que as pessoas estão voltando a empreender. Economia é muito em cima de confiança, expectativa'', disse o superintendente. 

Valdir aconselha que para abrir um negócio é preciso ter uma identidade com o ramo em que pretende empreender e conhecer o mercado que está se inserindo para que as chances de dar certo sejam grandes. "O Sebrae entra nisso na segunda parte. Identificar-se é muito pessoal. Já imaginou escolher o melhor namorado para o amigo? Ele quem tem que escolher, porque é quem tem que se identificar. Com o negócio é a mesma coisa. A gente ajuda com o fornecedor, o consumidor'', contou.

Entre os negócios de destaque no DF, Valdir elenca aqueles nos setores de serviços e comércio. Ele ressalta que o consumidor da capital federal é diferenciado, principalmente porque a renda per capita é elevada. ''Esses ramos acabam dominando nossa economia, principalmente serviços. Mas isso não pode ser o único indicativo para sua opção de negócio. É importante dizer isso, porque o que estamos fazendo aqui é utilidade pública e temos que ter cuidado para não direcionar a frustração de um sonho, porque ter um negócio é um sonho'', afirma. 

Sobre as declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes, de que o servidor público é parasita, o superintendente do Sebrae-DF discorda. Para ele, a declaração denigre a imagem de quem constrói a política no país. ''Você imagina a política pública sem o servidor? E tem muita gente competente. Tive dois anos de experiência na máquina pública e vi que tem gente comprometida'', opinou Valdir. 
 
Ouça a entrevista:
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade