Cidades

Polícia Civil prende integrante do PCC que atuava no DF

Reinaldo da Silva Xavier, 30 anos, era conhecido na facção criminosa como Zé do Caixão. O suspeito foi preso na noite desta quinta-feira (13/2), em uma distribuidora de bebidas no Setor Arniqueiras

Darcianne Diogo
postado em 13/02/2020 21:08
Fachada da 19ª DPDelegados da 19; Delegacia de Polícia (Ceilândia P.Norte) prenderam, na noite desta quinta-feira (13/2), um integrante do Primeiro Comando da Capital (PCC) que atuava no Distrito Federal. Reinaldo da Silva Xavier, 29 anos, era conhecido na facção criminosa como Zé do Caixão, e estava foragido desde 2018. Policiais o encontraram em uma distribuidora de bebidas, no Setor Arniqueira, após um trabalho de monitoramento.

Ao ser preso, o suspeito se identificou na delegacia como Evenilson, mas logo teve a identidade revelada. Segundo o delegado que acompanhava as investigações, Sérgio Bautzer, o homem tem quatro passagens policiais no DF: duas por tentativa de homicídio, e outras duas por porte ilegal de arma de fogo de uso restrito. ;Ele veio do Rio Grande do Norte e está no DF desde 2018. Lá, tem passagens por homicídio, assaltos a mão armada, furto de veículos e ameaças contra vários policiais;, detalhou, ao Correio, o investigador.

Em 20 de dezembro do ano passado, Reinaldo foi preso por agentes da 19; DP com uma pistola de fabricação turca e rara. Na ocasião, o suspeito rondava a casa de um outro homem e tinha a intenção de mata-lo, conforme informou Reinaldo em depoimento. Contudo, ele apresentou documento de identidade falso em nome de Raimundo Bento de Sá e, por isso, foi liberado após pagamento de fiança.

De acordo com o delegado, foram cumpridos dois mandados de prisão contra o suspeito, que foi encaminhado à Carceragem da Polícia Civil. Caso seja condenado, a pena de Reinaldo pode chegar a 100 anos.

Reforço na segurança

Até 6 de maio, militares das Forças Armadas reforçarão os arredores da Penitenciária Federal de Brasília, por autorização do presidente da República, Jair Bolsonaro. O decreto de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) com a decisão foi publicado na sexta-feira passada (7/2) no Diário Oficial da União. A justificativa para a medida estaria em supostos planos de fuga de Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, um dos líderes do PCC, que está preso no complexo desde março de 2019.
A medida, assinada pelos ministros Sergio Moro (Justiça), Fernando de Azevedo e Silva (Defesa) e Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Internacional) será realizada ;em articulação com as forças de segurança pública competentes e com o apoio de agentes penitenciários do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) do Ministério da Justiça e Segurança Pública;.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação