Publicidade

Correio Braziliense

Mães de crianças com câncer contam histórias de superação dos filhos

No dia internacional de luta contra a doença, mães contam histórias de como seus filhos superaram a dura jornada de combate à enfermidade. No Hospital da Criança de Brasília (HCB), média anual de novos casos varia de 200 a 230


postado em 14/02/2020 06:00

Ângelo, filho de Maria de Lourdes, está totalmente curado do câncer(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Ângelo, filho de Maria de Lourdes, está totalmente curado do câncer (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Febre, dor de cabeça, palidez, perda de peso ou inchaço. Os sintomas são comuns durante a infância, mas também podem ser reflexo de doenças mais graves, como o câncer precoce. O diagnóstico e tratamento imediatos são fundamentais para interromper o crescimento desordenado de células na infância e reverter o quadro rapidamente. Com objetivo de conscientizar a população para a luta das crianças na superação da doença, no 15 de fevereiro, comemora-se o Dia Internacional de Luta contra o Câncer Infantil. Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), todos os anos, cerca de 11 mil crianças e adolescentes de 1 a 19 anos são diagnosticados com câncer no Brasil. Na capital, a média anual de novos casos de câncer infantil no Hospital da Criança de Brasília (HCB) varia de 200 a 230. 

“O câncer da criança é biologicamente mais agressivo, comparado ao de um adulto. Normalmente, ele é sistêmico e atinge células imaturas. Paradoxalmente, apresentam 80% de chance de cura, porque essas células são mais sensíveis à quimioterapia”, explica a diretora do HCB, médica pediatra, hematologista e oncologista, Isis Magalhães. “Por isso, o objetivo do hospital é trabalhar com os médicos na ponta de atendimento e, dessa forma, aumentar o diagnóstico rápido. Os pais também devem sempre estar atentos a quaisquer mudanças na saúde dos filhos, prestando atenção em alguns sintomas que podem estar associados ao câncer”, recomenda a médica.  

Na luta há quase um ano contra a doença do filho, Dayse Ferreira, 26 anos, obteve um diagnóstico rápido de Christopher Miguel Ferreira, 3. Em março do ano passado, após uma queda na creche, a criança começou a apresentar leves sangramentos na urina. “No primeiro exame, o médico falou que era uma infecção urinária, mas eu duvidei.” O sangramento agravou, e Christopher começou a reclamar cada vez mais de dor. “Minha intuição estava certa. Após uma ecografia, detectou-se um tumor urinário”, conta. A mãe rapidamente começou  o tratamento. “Ele ficou usando por seis meses uma sonda abaixo do umbigo e sentia muita dor”, lembra Dayse. Após a cirurgia para retirada do tumor, o sofrimento acabou. Atualmente, Christopher faz acompanhamento na Abrace. “Ainda não me falaram se ele está curado, mas a biópsia apresentou ausência de câncer”, comemora.

Em Brasília, a assistência social para crianças e adolescentes com câncer e doenças hematológicas é realizada pela Abrace desde 1986. O espaço oferece alimentação, medicamentos, assistência odontológica, palestras sobre a doença e apoio logístico domiciliar para os pacientes em cuidados paliativos, além de alojamentos na Casa de Apoio para pacientes que não residem no DF. “O objetivo é trazer para as famílias com  crianças em tratamento fé de que essa fase vai passar, e um olhar para o futuro, porque não se pode deixar que a doença paralise”, diz a presidente Maria Angela Marini. “Tudo o que a Abrace promove é para a valorização da vida”, acrescenta. 

Maria de Lourdes Rodrigues aprendeu com a dor a valorizar e acreditar no futuro. Com a descoberta do câncer de Ângelo Rodrigues, 6, a dona de casa passou por momentos difíceis até aceitar o diagnóstico. “Eu não conseguia passar pela etapa da revolta. Após várias sessões de terapia, criei forças e recomecei. O dia marcante foi quando resolvi me maquiar”, relembra. Hoje, Ângelo recebe acompanhamento, e a criança antes diagnosticada com tumor de Wilms, também conhecido como Nefroblastoma, está totalmente curada. 

Tipos da doença em crianças

» Leucemia Linfótica Aguda (LLA)
» Tumor de Wilms
» Retinoblastoma
» Linfoma
» Neuroblastoma

Atenção

A criança ou adolescente, atendida em um posto de saúde ou hospital da rede, que precise de consulta especializada, será encaminhada pelo pediatra para marcação de consulta no sistema da Central de Regulação SES/DF.

Hospital da Criança de Brasília

Endereço: AENW 3, Lote A — Setor Noroeste (ao lado do Hospital de Apoio) 
Telefone: 3025-8350

Abrace

Endereço: QE 25, Área Especial 1 Cave — Guará 2
Contato: 3209-8800 / 3212 6000

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade