Publicidade

Correio Braziliense

Caso de jovem esfaqueado em bloco pré-carnavalesco segue sem suspeito

Matheus Barbosa, 18 anos, foi atingido por duas facadas durante no bloco Quem chupou vai chupar mais. Caso é investigado pela 5ª Delegacia de Polícia (Área Central)


postado em 18/02/2020 09:53 / atualizado em 18/02/2020 10:47

Matheus Barbosa morreu esfaqueado durante o bloco pré-carnavalesco Quem Chupou Vai Chupar Mais (foto: Reprodução/Redes sociais)
Matheus Barbosa morreu esfaqueado durante o bloco pré-carnavalesco Quem Chupou Vai Chupar Mais (foto: Reprodução/Redes sociais)
Passados 10 dias da morte de Matheus Barbosa, 18 anos, a Polícia Civil continua a procura do resposável pelo crime. O jovem foi atingido por dois golpes de faca durante bloco pré-carnavalesco "Quem chupou vai chupar mais", na noite de sábado (8/2). O caso é investigado pela 5ª Delegacia de Polícia (Área Central). Em nota, o órgão informou, nesta terça-feira (18/2), que prossegue com as investigações e que "no momento, não há suspeitos identificados". 

 

À época, a organização do evento informou que mais de 90 mil pessoas participaram da festa. "Tivemos algumas ocorrências e, em uma delas, uma pessoa foi esfaqueada, recebeu os primeiros socorros e foi conduzida ao Hospital de Base, mas não resistiu".

O bloco Quem Chupou Vai Chupar Mais foi marcado por brigas entre os foliões. De acordo com o Corpo de Bombeiros, eles atenderam 12 ocorrências no bloco, das quais seis foram de pessoas vítimas de arma branca.O bloco estava marcado para encerrar às 22h, mas devido às confusões, os organizadores encerraram a festa às 21h. 

Investigações

Segundo investigações, Matheus Barbosa foi atingido com uma facada no peito e outra na cabeça. Amigos que estavam com a vítima no momento da folia relataram ao Correio que, após às 21h, mais de 20 homens armados com arma branca se aproximaram da multidão e levaram bolsas, carteiras e celulares. 

Segurança

Após o episódio, a Polícia Militar passou a atuar de maneira preventiva durante os blocos deste fim de semana. A atuação foi com foco nas abordagens em busca de objetos potencialmente perigosos. Nas revistas feitas pelos policiais militares, foram encontradas tesouras, facas, alicates, soco inglês e arma de choque. Apenas no sábado (15/2), a Polícia Militar empregou 700 oficiais para os sete eventos no dia. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade