Publicidade

Correio Braziliense

Bloco dos Raparigueiros desfila neste domingo no Eixo Monumental

Organizadores esperam que 120 mil foliões participem do bloco, que vai percorrer 4km e encerrar a festa no Mané Garrincha


postado em 23/02/2020 18:04 / atualizado em 23/02/2020 19:31

Concentração do bloco Raparigueiros(foto: Minervino Júnior/CB/D.A. Press)
Concentração do bloco Raparigueiros (foto: Minervino Júnior/CB/D.A. Press)
Um dos maiores blocos de rua do Distrito Federal, o Raparigueiros começou a concentrar os primeiros foliões no fim da tarde deste domingo (23/2), na Torre de TV. A festa vai até o fim da noite e espera receber 120 mil pessoas, segundo os organizadores. O publico predominantemente jovem, caprichou em fantasias coloridas, tiaras e pochetes brilhantes.

 

Ver galeria . 6 Fotos Bloco dos RaparigueirosMinervino Júnior/CB/D.A. Press
Bloco dos Raparigueiros (foto: Minervino Júnior/CB/D.A. Press )
 

 

Josiene Trindade, 20 anos, é um exemplo. Ela conta que começou a curtir o carnaval neste domingo. "O Raparigueiros é tudo de bom! A gente vem, curte, se diverte, bebe e beija na boca", brincou. O som do trio elétrico agrada o público. "Aqui toca muito funk, sertanejo, axé. Gosto muito", acrescentou a moradora da Vicente Pires.

 

As bandas Papel Marchê, DNA Salvador e Batucada dos Raparigueiros comandam a música junto ao DJ Christopher. A promotora de vendas Cleidiane de Sousa, 35, decidiu apenas na última hora sair de casa, em Taguatinga, para prestigiar a festa no Plano Piloto. Apesar disso, a animação está em dia: ela caprichou na maquiagem.

 

"Carnaval é só uma vez por ano, portanto, temos que aproveitar o máximo que pudermos. Não há festa que se compare a essa", garantiu. Ao lado, estava a estudante Ana Carolina Guerra, 19. Para as comemorações deste ano, ela decidiu se vestir como policial. 

 

Cleidiane e Ana Carolina preferem curtir a festa ao lado de amigas(foto: Augusto Fernandes/CB/D.A. Press)
Cleidiane e Ana Carolina preferem curtir a festa ao lado de amigas (foto: Augusto Fernandes/CB/D.A. Press)
 

 

"É uma fantasia que está na moda. Além disso, posso aproveitar para conscientizar mais pessoas sobre a importância de curtir a festa com segurança", explicou. "Vamos todos aproveitar a vida, mas sem esquecer de curtir na paz e com responsabilidade. Esse carnaval tem tudo para ser maravilhoso."

Outro casal que aproveitou o bloco foram os namorados Hemilly Aguiar, 20, e Lucas Mariano, 22. Mesmo preocupados com os recentes episódios de violência em blocos de rua de Brasília, eles gostaram da festa dos Raparigueiros. “Adoro carnaval. Como sou baiana, está em meu sangue. É a melhor festa que existe. E, como só podemos curtir uma vez por ano, temos de aproveitar incessantemente”, frisou a estudante de engenharia civil.

 

Esquema de segurança 

A Polícia Militar preparou várias barreiras para revistar os presentes. Alguns objetos, como garrafas de vidro, são proibidas. Além disso, a organização também conta com patrulhamento do regimento montado, policiais à paisana e segurança privada. 


O bloco enfrentou polêmicas recentes com o registro de brigas e até esfaqueamentos. Em 2019, a Polícia Militar registrou 12 ocorrências de perfurações com arma branca. Naquele ano, também chamou atenção a apreensão de um machado com um jovem que estava indo para o evento.

 

Na ocasião, a organização da festa se defendeu informando que os episódios foram isolados e não representavam o bloco, considerado um dos maiores da região.

Muitos foliões concordam que os registros de violência não são marcas do Raparigueiros. Por dois anos seguidos, em 2017 e 2018, o evento ficou entre os três primeiros colocados no Prêmio #CB Folia, que privilegia os melhores blocos da capital. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade