Publicidade

Correio Braziliense

Detran autua mais de 100 motoristas que dirigiam bêbados no carnaval do DF

Dos condutores autuados, três foram presos por agentes do órgão. Ao todo, mil veículos foram abordados entre 21 e 26 de fevereiro


postado em 26/02/2020 13:09 / atualizado em 26/02/2020 13:10

Para as operações de fiscalização e controle de tráfego nos blocos, foram empregados um total de 410 agentes de trânsito, 120 viaturas operacionais, 12 motocicletas, três guinchos e uma aeronave(foto: Detran-DF/Divulgação)
Para as operações de fiscalização e controle de tráfego nos blocos, foram empregados um total de 410 agentes de trânsito, 120 viaturas operacionais, 12 motocicletas, três guinchos e uma aeronave (foto: Detran-DF/Divulgação)
Com fim do carnaval, o Governo do Distrito Federal começou a divulgar o balanço dos dias de folia. Da última sexta-feira (21/2) até a madrugada desta quarta-feira de cinzas (26/2), o Departamento de Trânsito (Detran) autuou 104 motoristas que dirigiam bêbados. Três foram presos. Ao todo, 600 testes de alcoolemia foram realizados e 1.050 carros abordados durante operação especial de carnaval. 

Os agentes do Detran ainda flagraram 45 condutores inabilitados, 28 com a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) vencida há mais de 30 dias, sete condutores com o documento suspenso e 450 autuados por estacionamento irregular.

Para as operações de fiscalização e controle de tráfego nos blocos, foram empregados um total de 410 agentes de trânsito, 120 viaturas operacionais, 12 motocicletas, três guinchos e uma aeronave. Não houve acidentes graves nas proximidades das festas.

Na última terça-feira (25/2), a Polícia Militar divulgou que autuou 411 foliões por alcoolemia. Seis deles foram considerados crimes de trânsito, quando a quantidade de álcool por miligrama ultrapassa 0,34 ml por litro de sangue, de acordo com a lei 9.503/1997.

Apreensões

A Secretaria DF Legal registrou um aumento de 67% no número de apreensões em relação a 2019. Em comparação com 2018, a taxa é ainda maior, 161%. Entre os artigos apreendidos, de destacam as bebidas destiladas. O secretário da pasta, Gutemberg Tosatte, ressalta que o grande sucesso do carnaval 2020, coordenado pela Secretaria de Segurança Pública em conjunto com outros órgãos, foi a comunicação entre eles. 

Neste ano, o DF Legal intensificou o trabalho na retirada de faixas em áreas públicas e na orientação aos mais de 600 ambulantes nas regiões de festas quanto à obrigatoriedade do uso de lixeira, manutenção de limpeza e a correta destinação dos resíduos. Além disso, realizou a verificação das licenças dos blocos, fiscalização e organização dos ambulantes, controle do início e término dos eventos e, ainda, na orientação sobre a correta destinação dos resíduos sólidos.

Ao todo, participaram das ações 62 auditores, 40 inspetores e 100 profissionais no apoio operacional. As equipes trabalharam todos os dias de folia das 7h à meia-noite.

Coleta de lixo

Com o fim do carnaval, os blocos de rua saem de cena e entram os profissionais do Serviço de Limpeza Urbana (SLU). Durante os quatro dias de folia, os 600 garis — que se revezaram nos períodos da manhã, tarde e noite — recolheram 22,3 toneladas de resíduos. Os dias de maior quantidade de lixos coletados foram sábado (6,6 t) e domingo (8,2 t). Na segunda-feira, foram 3,3 toneladas e na terça-feira, 4,2. A quantidade inclui a coleta realizada na área central de Brasília e nas regiões administrativas onde ocorrem festas, como Águas Claras e Ceilândia. 

De acordo com o SLU, o total de resíduos recolhidos este ano é menor que nos anteriores. Em 2019, por exemplo, foram coletadas 37 toneladas. Em 2018, o número foi ainda maior, 82 toneladas. Nesta quarta-feira de cinzas (26/2), dois caminhões-pipas foram disponibilizados pelo órgão para limpeza das áreas onde houve concentração de festas, como o Setor Comercial Sul.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade