Publicidade

Correio Braziliense

Detento morre na Papuda com suspeita de tuberculose

Michael Antônio Olímpio Bento, 25 anos, cumpria pena na unidade há três anos e oito meses. Segundo familiares, o interno se queixou de febre aos agentes na sexta-feira passada (21/2), mas só teria recebido o atendimento médico na terça-feira (25/2)


postado em 28/02/2020 19:30 / atualizado em 28/02/2020 20:59

Michael Antônio Olímpio Bento estava preso no PDF 2 e aguardava transferência para o CPP(foto: Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
Michael Antônio Olímpio Bento estava preso no PDF 2 e aguardava transferência para o CPP (foto: Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
Um detento de 25 anos morreu por suspeita de tuberculose miliar — infecção contagiosa causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis, que se propaga pelo ar — na Penitenciária do Distrito Federal 2 (PDF 2), no Complexo da Papuda. Michael Antônio Olímpio Bento cumpria pena na unidade há três anos e oito meses. Segundo familiares, o interno se queixou de febre aos agentes na sexta-feira passada (21/2), mas só teria recebido o atendimento médico na terça-feira (25/2). 

Ao Correio, a mãe de Michael, Silvia Helena Olímpio, disse que o filho mandou um recado por um outro visitante, informando que, na sexta-feira passada, pediu aos agentes, durante o banho de sol, o encaminhamento ao hospital por estar passando mal. “Ele estava com muita febre. Temos um sistema que acompanhamos o bloco, a ala e se o interno é transferido para algum lugar. Ontem (27/2) de manhã, eu entrei na página e constava ‘interno não encontrado’. Foi quando descobri por lá que meu filho havia falecido”, contou. 

De acordo com a auxiliar de serviços gerais, no relatório médico consta que o jovem teve atendimento nesta terça-feira e chegou à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de São Sebastião nesta quarta-feira (26/2). “A médica me disse que ele chegou inconsciente, com o olho sangrando e febre alta. Depois, os médicos o entubaram e, na madrugada de ontem, ele faleceu”, detalhou. 

Ainda de acordo com a mãe, o filho cumpria regime semiaberto e aguardava a transferência para o Centro de Progressão Penitenciária (CPP). “Ele estava no regime semiaberto e, a qualquer momento, poderia ser encaminhado. Até ganhou um trabalho aqui fora e estava ansioso para sair. Agora, perdi minha luta. Estou à base de remédios. Ele só tinha eu”, lamentou. 

Segundo o subsecretário da Subsecretaria do Sistema Penitenciário (Sesipe), Adval Cardoso, Michael passou mal na terça-feira e logo foi atendido pela equipe médica do presídio. “A partir do momento que ele se queixou, os médicos o receberam de imediato e, a partir daí, foi encaminhado para a UPA de São Sebastião”, esclareceu. O laudo médico, de acordo com ele, sairá daqui 30 dias. 
 
Em nota oficial, a Secretaria de Segurança Pública afirmou que, só será possível esclarecer as causas da morte, após a conclusão do laudo médico pelo Serviço de Verificação de Óbito (SVO), da Secretaria de Saúde.
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade