Cidades

Morto a facadas, jovem professor de história é velado em Taguatinga

Assassinado em uma parada de ônibus, no Pistão Sul, Herbert Silva Miguel faleceu após cinco dias internado

Matheus Ferrari
postado em 09/03/2020 16:00
[FOTO 1] Vítima de violência gratuita e brutal, o professor Hebert Silva Miguel, 26 anos, é velado, na tarde desta segunda-feira (9/3), no Cemitério Campo da Esperança, em Taguatinga.

O velório começou às 15h. Em diversos momentos, a capela 1 ficou pequena para as pessoas que chegavam ao local para se despedir do jovem professor de história da Escola Municipal Machado de Assis, no Pedregal, Novo Gama (GO). Cerca de 150 pessoas se reuniram para prestar as últimas homenagens a Herbert.

Tio da vítima, Daniel de Paula, 40, lembra com orgulho da conduta do sobrinho e da influência que ele exercia sobre as pessoas. ;Ele já tinha tirado pessoas do mundo das drogas, só pelo estilo de aula dele. As classes eram mais cheias e mais interessantes pela linguagem que ele usava e que era a que os jovens queriam ouvir. Ele mudava as pessoas por não ter preconceito nenhum. Nem de credo, de raça, de opção sexual. De nada. Ele amava o que fazia;, disse o vendedor.

Segundo Daniel, o sobrinho era responsável por trazer serenidade às pessoas próximas, nos momentos mais difíceis. ;Foi o cara com o maior coração que eu conheci. Posso dizer isso sem sombra de dúvidas;, lembro.

Consternado, um amigo de Herbert reforçou a personalidade solidária do rapaz, que era apaixonado pela profissão e, mesmo com a rotina pesada, encontrava tempo para estudar para concurso e escrever suas próprias poesias. ;Ele era um pequeno Jesus. Um exemplo. Ele queria mudar o mundo. O papel dele, na escola, era de ser diferente mesmo, de mudar a mentalidade daquela galera (dos alunos) e acolher quem precisava;, disse o amigo, que preferiu não se identificar.

O sepultamento de Herbert Silva Miguel está previsto para as 17h, no Cemitério Campo da Esperança, Taguatinga.

O caso


Hebert esperava pelo segundo coletivo do dia para ir ao trabalho, no Novo Gama, a cerca de 40 quilômetros do centro de Brasília, quando, por volta das 6h30, na segunda-feira (2/3), um homem o abordou, ameaçou-o e exigiu que entregasse o celular. Mesmo cedendo o aparelho e sem reagir, Herbert foi atacado com seis facadas.

Bombeiros atenderam o rapaz e o levaram ao Hospital Regional de Taguatinga (HRT). No entanto, a família dele conseguiu, via judicial, que ele fosse transferido para um leito na unidade de terapia intensiva (UTI). Na madrugada de terça-feira, o professor deu entrada no Hospital Regional de Santa Maria em estado grave. Após quase cinco dias, o educador morreu. A morte foi comunicada à família, no último sábado (07/03), por volta das 18h30.

O homem que esfaqueou Herbert fugiu e foi encontrado, cerca de duas horas depois, na QSD 8, Taguatinga Sul, e levado à 12; DP (Taguatinga Centro). Com ele, policiais militares encontraram uma faca com sangue. No dia seguinte, durante audiência de custódia, a prisão do suspeito foi convertida em preventiva. O acusado tem passagens por furto e cumpria pena domiciliar.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação