Publicidade

Correio Braziliense

Coronavírus: movimento no comércio cai 50% em 5 dias, diz sindicato

O Sindicato do Comércio Varejista (Sindivarejista) estima que o prejuízo chegue a R$ 400 milhões até o fim do mês


postado em 16/03/2020 16:42 / atualizado em 16/03/2020 16:43

Prejuízo passa dos R$ 80 milhões no comércio do DF(foto: Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
Prejuízo passa dos R$ 80 milhões no comércio do DF (foto: Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)

A movimentação de clientes nas lojas de rua, shoppings, bares e restaurantes caiu pela metade nos últimos cinco dias no Distrito Federal. A queda, segundo o Sindicato do Comércio Varejista (Sindivarejista), se deve aos casos de coronavírus na cidade. A entidade estima que desde 11 de março, quando as aulas foram suspensas, o prejuízo do comércio passa dos R$ 80 milhões.  

De acordo com a pesquisa do Sindivarejista, o prejuízo pode chegar a R$ 400 milhões até o fim deste mês. A orientação do sindicato é de que os lojistas mantenham as lojas higienizadas e que está em contato com outras entidades para solicitar o parcelamento de impostos.  

Caso o cenário se agrave, é possível que ocorra a demissão de funcionários. O advogado do Sindivarejista, Auro Vidigal, ressalta que vai se reunir com o Sindicato dos Empregos no Comércio (Sindicom) para estudar medidas que evitem os cortes. “A ideia é fazer propostas para minimizar os efeitos, como férias coletivas ou afastamento por um determinado período, com redução de salário”, frisou.  

De acordo com ele, as medidas obedecerão a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT). “A nossa preocupação é dupla: com a manutenção do emprego e da empresa. Se não tem fatura, não há condição de pagar”, comentou. 

Crédito de R$ 1 bilhão 

Nesta segunda-feira (16/3), o BRB aprovou uma linha de crédito de R$ 1 bilhão para empresários. O valor estará disponível a partir de quarta-feira (18/3) e permitirá condições facilitadas para aquisição.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade