Cidades

Coronavírus: Número de pacientes infectados pela doença sobe para 258

Das pessoas com coronavírus, 12 estão em estado crítico e 11 em estado grave. Com a comprovação de que indígena não morreu pela doença, o número de óbitos na capital federal continua zero

Sarah Peres
postado em 28/03/2020 12:51
 (foto: AFP)
(foto: AFP)
Das pessoas com coronavírus, 12 estão em estado crítico e 11 em estado grave.  Com a comprovação de que indígena não morreu pela doença, o número de óbitos na capital federal continua zeroOs casos de pessoas infectadas pelo novo coronavírus sobem para 258, conforme dados divulgados pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF), na manhã deste sábado (28/3). Na sexta-feira (27), eram 240 casos, conforme informações repassadas pela pasta em coletiva de imprensa.
Ainda neste boletim deste sábado, pasta também indicou que o número de óbitos pela Covid-19 continua zero na capital federal, uma vez que o indígena Israel Tiago Martins não faleceu em decorrência do vírus, conforme resultado do teste definitivo, que deu negativo. Na noite de sexta-feira, o Ministério da Saúde chegou a lamentar a morte.
De acordo com os dados divulgados, 12 pacientes estão em estado crítico e 11 estão em estado grave. Além disso, 185 estão com infecções leves e 50 estão em investigação. A pasta também informou que 120 pessoas se recuperaram da doença ; mesmo número de sexta-feira. Os números são de boletim analisados até às 11h45 deste sábado (28).

Desencontro de informações

Na manhã deste sábado, a SES-DF anunciou que a confirmação do óbito do indígena Israel Tiago pela Covid-19 ocorreu por desencontro de informações. A pasta informou que isso aconteceu porque a "indicação de suspeita da doença no atestado de óbito que, em si só, não confirma a causa morte." A correção foi possível após o teste definitivo para a doença dar negativo. O exame foi realizado pelo Laboratório Central (Lacen).

Novas recomendações

Também na sexta-feira (27), o Governo do Distrito Federal (GDF) regulamentou o protocolo a ser seguido em casos de mortes pela Covid-19, para prevenir a disseminação da doença. Familiares das vítimas poderão escolher entre a cremação do corpo ou pelo caixão lacrado para enterro ; sem possibilidade de velório.
O texto também determina que os profissionais devem usar equipamentos especiais para evitar contamição pelo novo coronavírus. A transferência do cadáver para o necrotério deve ser feito em menor tempo possível.O corpo deve ser colocado em bolsa sanitária biodegradável e impermeável. O médico não precisa realizar a necropsia, basta emitir o atestado de óbito com causa mortis ;A esclarecer para Covid-19;.

Antes do corpo ser levado para o necrotério, um servidor público ou um familiar da vítima deve assinar termo de responsabilidade para acessar o corpo e realizar a identificação da pessoa. Não pode ter qualquer tipo de contato físico com o paciente, com os pertences dele ou qualquer outro material que pode estar contaminado.

Para realizar a identificação, o familiar será informada sobre o risco de contaminação e deve adotar as medidas de precauções para não ser infectado. Deve-se usar um capote descartável, luvas e máscara cirúrgica. Para evitar qualquer contato com o corpo do paciente, a pessoa pode optar pela identificação por fotos.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação