Publicidade

Correio Braziliense

Polícia prende mulher por produção irregular de álcool em gel

Foram apreendidos 109 frascos do produto, além de dois galões de 50 litros. O crime é considerado hediondo e a pena é de 10 a 15 anos de reclusão


postado em 03/04/2020 14:57 / atualizado em 03/04/2020 14:58

Uma mulher foi presa por fabricação irregular em um estabelecimento comercial em Taguatinga(foto: PCDF/Divulgação)
Uma mulher foi presa por fabricação irregular em um estabelecimento comercial em Taguatinga (foto: PCDF/Divulgação)
A produção ilegal de álcool em gel é uma das práticas criminosas recorrente neste período de pandemia do novo coronavírus. Forças de seguranças do Distrito Federal têm atuado para coibir esse tipo de crime. Na última quinta-feira (2/4), agentes da Coordenação de Repressão aos Crimes Contra o Consumidor, a Propriedade Imaterial e a Fraudes (Corf), prenderam em flagrante uma mulher por fabricação irregular do produto em um estabelecimento comercial em Taguatinga

De acordo com a Polícia Civil, a mulher, de 41 anos, era proprietária da empresa e estava fabricando, de forma ilegal, álcool em gel sem registro dos órgãos competentes. Além da produção, foi constatado um depósito para a venda do produto. Ao todo, foram apreendidos 109 frascos, além de dois galões de 50 litros. 

A mulher vai responder por crime contra a saúde pública. A infração é considerada hedionda e a pena é de 10 a 15 anos de reclusão. Os produtos foram encaminhados ao Instituto de Criminalística da PCDF. 

Operação Mau Negócio 

Na quarta-feira (2/4), agentes da 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul) deflagraram a segunda fase da operação Mau Negócio. Durante a ação, dois ambulantes foram presos por comercializar álcool em gel e máscaras de proteção de forma ilegal. A dupla vendia os produtos na Rua das Farmácias, na 302 Sul. Foram apreendidas 120 máscaras brancas descartáveis, 32 frascos de álcool em gel, R$ 1.176 em espécie e duas máquinas de cartão de crédito.

A operação tem como objetivo coibir a venda de produtos de proteção ao novo coronavírus com origem duvidosa. Durante as duas fases, foram confiscados 620 frascos de álcool em gel de origem clandestina. 
 

Canais de denúncia

Procon — 151
PMDF — 190
PCDF — 197 ou (61) 98626-1195 (WhatsApp)
DF Legal — (61) 3961-5125

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade