Cidades

Suspeito de esquartejamento no Itapoã é preso e polícia apura motivação

Além dele, investigadores identificaram outras duas pessoas que podem ter participado do crime. Todos seriam conhecidos da vítima, um jovem de 18 anos

Jéssica Eufrásio
postado em 04/04/2020 21:40
 (foto: PCDF/Divulgação)
(foto: PCDF/Divulgação)
Partes do corpo do jovem assassinado foram encontradas dentro de sacola plástica, em um lixão da cidade A 6; Delegacia de Polícia (Paranoá) investiga o caso de um esquartejamento registrado no Itapoã, na tarde deste sábado (4/4). Um homem foi preso em flagrante por suspeita de participação no crime. Ele seria o responsável por contratar um carroceiro para levar a um lixão da cidade potes de doce de leite vazios e um tanque de lavar roupas quebrado. Pedaços do corpo de um jovem de 18 anos foram encontrados enrolados em um lençol, no interior de um saco plástico deixado dentro do eletrodoméstico.
Em depoimento, o carroceiro informou à polícia que não sabia do conteúdo da sacola e que havia recebido R$ 10 para levar os materiais até o local de despejo. "Disseram ao carroceiro que ele descartaria latas de doce de leite. No entanto, um dos autores do crime o seguiu em uma moto. Ele achou estranho, mas permitiu que fosse acompanhado. No lixão, foram deixadas as latas e um tanquinho velho, com um saco muito grande dentro. Como ele fazia o transporte, não se preocupou com o conteúdo e apenas o despejou ali (no lixão)", detalhou a delegada-chefe da 6; DP, Jane Klébia do Nascimento.

O corpo foi descoberto pouco depois, por uma catadora de materiais recicláveis que se aproximou. Ao ver os materiais deixados, ela percebeu que saía sangue do tanque. Por achar que se tratava de um animal morto, ela puxou a sacola e viu se tratavam de partes de um corpo humano. O motociclista que havia acompanhado o carroceiro fugiu. No local, a polícia encontrou tronco e pernas dentros do saco plástico.

Homicídio qualificado


O homem preso teria contratado o carroceiro, segundo a delegada. O suspeito trabalhava como vendedor de churos na região. Na casa dele, peritos encontraram vestígios de sangue e sinais de que o ambiente havia sido lavado. Acompanhado dos policiais, ele levou a equipe ao local onde havia deixado uma sacola com outras partes do corpo da vítima.

Os trabalhos para encontrar o restante foram interrompidos na tarde deste sábado (4/4), devido ao horário e à dificuldade para acesso ao local. As diligências devem continuar no domingo (5/4), com a ajuda de cães farejadores.

Além desse homem, a polícia identificou outros dois suspeitos. A delegada supõe que eles e a vítima se conheciam. "Sabemos que eles bebiam juntos, dormiam na mesma casa e, por algum motivo, se desentenderam. Os autores o mataram com, pelo menos, 20 perfurações nas costas, quatro na frente e o esquartejaram. O autor preso se recusa a dar a motivação do crime", afirmou Jane Klébia. "O suspeito mora no Itapoã Parque, em uma área cheia de vizinhos, mas ninguém ouviu gritos nem nada", completou.

A polícia procura os demais envolvidos. Jane Klébia ressaltou que eles podem ser indiciados pelos crimes de homicídio qualificado, ocultação de cadáver, além de fraude processual, devido à modificação da cena do crime.


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação