Cidades

Covid-19: População de rua recebe atendimento médico e ganha livros

Pessoas em situação de rua receberão alimentação balanceada, roupas limpas, atendimento psicossocial e acesso à cultura por meio da entrega dos livros

Correio Braziliense
Correio Braziliense
postado em 15/04/2020 09:42

O Consultório na Rua vai em busca de pessoas vulneráveis para realizar atendimento médicoNeste período de enfrentamento à pandemia da Covid-19 no Distrito Federal, o governo local se mobiliza para atender às necessidades da população em situação de rua. Desde o início do mês, as equipes do Consultório na Rua oferecem atendimento médico para pessoas em situação de rua instaladas no Autódromo Internacional Nelson Piquet. Além disso, a equipe da Mala do Livro disponibilizou livros para cerca de 200 pessoas em situação de rua abrigadas no local.

O Consultório na Rua é uma modalidade de equipe Saúde da Família que funciona na Secretaria de Saúde do DF, implementado pelo Ministério da Saúde para atendimento específico às pessoas em situação de rua. A equipe de Consultório na Rua pode ser composta por vários profissionais, entre médicos, assistentes sociais, enfermeiros, técnicos em enfermagem e psicólogos. A ação está sendo realizada pela Secretaria de Saúde e pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes).

A equipe de saúde tem o objetivo de atender todas as pessoas, realizar o perfil de saúde deles, o diagnóstico situacional e planejamento das ações em saúde. Além disso, identificar aqueles com febre e sintomas respiratórios para tomar as providências quanto à Covid-19.

O secretário de saúde Francisco Araújo ressalta a importância da atuação dessas equipes: ;Essa é uma população extremamente vulnerável à proliferação do coronavírus e, se eles ficarem nas ruas, sem acompanhamento e assistência, corremos o risco de ter uma contaminação muito forte e grave nesse público;. No caso da Covid-19, a melhor estratégia é a prevenção, ;atuar antes que a doença se instale; alerta.

Segundo a gerente de Atenção à Saúde da População em Situação Vulnerável e Programas Especiais, Denise Leite Ocampo, os atendimentos acontecerão três vezes na semana porque a maioria das pessoas acolhidas tem agravos crônicos e, uma vez sanadas as questões agudas e realizado o manejo das questões crônicas, as equipes vão avaliar as intercorrências que surgirem;, afirmou.

Livros

Nesta terça-feira (14/4), a equipe da Mala do Livro disponibilizou parte do acervo bibliográfico a cerca de 200 pessoas em situação de rua que estão abrigadas no autódromo. Esta é a primeira ação cultural realizada no alojamento construído em caráter de emergência.

A ação da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec) e da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) levou as ;caixas-estantes; aos acolhidos em abrigo social. Além de proteção, os cidadãos ; vindos de todo o Distrito Federal ; receberão alimentação balanceada, roupas limpas, atendimento psicossocial e, agora, acesso à cultura por meio da entrega dos livros.

O programa Mala do Livro completa 30 anos em 2020. Atualmente, é o programa mais antigo da Secec e tem gerido, durante todo esse período, ações voltadas ao fomento e incentivo à leitura em comunidades do DF.

Ao todo, o acervo é composto por mais de 45 mil obras consignadas aos agentes que, além de fomentar o hábito da leitura entre crianças, jovens e adultos, desenvolvem atividades lúdicas como contação de histórias, por exemplo.

Instalações

O autódromo é uma unidade de acolhimento com capacidade para 200 pessoas, administrado pela Sedes e organizado pelo Instituto Tocar, contratado pela pasta. Os alojamentos começaram a funcionar no dia 7 de abril e devem permanecer por 90 dias ou enquanto durar a pandemia. O local está abrigando cerca de 160 pessoas.


*Com informações da Agência Brasília




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação