Cidades

GDF sinaliza com volta às aulas

Em reunião no Palácio do Planalto, presidente da República pediu ao governador do Distrito Federal apoio para retomada das atividades em colégios cívico-militares, já na próxima segunda-feira. Ibaneis Rocha gostou da proposta, mas ainda não definiu o retorno dos trabalhos

postado em 21/04/2020 04:06
Caso seja definida a volta das atividades na escolas militarizadas, cerca de 25 mil retornaram à sala de aula na capital federal
A reabertura de escolas cívico-militares no Distrito Federal entrou em pauta ontem. O governador Ibaneis Rocha (MDB) encontrou-se com o presidente da República, Jair Bolsonaro, para debater a possibilidade de retomada das aulas nesses colégios. A reunião ocorreu a pedido do chefe do Palácio do Planalto, que buscava apoio do emedebista para a iniciativa.

;Esse, talvez, seja o primeiro gesto para nós voltarmos à normalidade no tocante ao estudo no Brasil, mas não está batido o martelo ainda;, afirmou o presidente. Bolsonaro disse que é natural que os pais estejam com medo, mas que, gradualmente, é preciso retornar. Dessa forma, a reabertura de escolas cívico-militares e as militares seria o passo inicial. A ideia seria retomar as aulas na próxima segunda-feira.

O presidente afirmou que o assunto está em discussão nos setores do governo ligados à segurança pública. ;Conversei com o general Fernando (Azevedo e Silva, ministro da Defesa). Ele acha que a ideia é boa. Vai conversar com os chefes do BGP (Batalhão da Guarda Presidencial) também. Temos conversado. Vou conversar com o (Sergio) Moro (ministro da Justiça e Segurança Pública) para nós abrirmos a academia da Polícia Federal a partir de segunda-feira;, declarou.

Apesar de afirmar que gostou da ideia, Ibaneis não cravou apoio à proposta. ;Vou me reunir com a minha equipe técnica. Pode ser um bom teste. Em vez de eu abrir para toda a rede pública, se eu reabrir aos poucos, posso ter a condição de saber como isso funciona;, argumentou o chefe do Palácio do Buriti. ;Mas (queremos saber) qual seria um plano para dar segurança a essas crianças, se testando todas elas, se testando os professores;, complementou. Segundo o governador, no DF, há cerca de 25 mil alunos em colégios cívico-militares.

O encontro é mais um sinal da aproximação entre Ibaneis e Bolsonaro. No domingo, o Fórum dos Governadores publicou carta em que criticava a participação do presidente nas manifestações que pediram fechamento do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Congresso Nacional. Apesar de ser um dos líderes do grupo, Ibaneis não assinou a carta.

Controle
O chefe do Palácio do Buriti acrescentou que acredita que as medidas implementadas pelo GDF em Brasília impedirão nova onda de infecções na capital federal. ;Isso tudo vai ser trabalhado para que a gente tenha o mínimo de contaminação possível, sabendo que ela vai existir. Nós estamos fazendo um trabalho muito grande para que a população do Distrito Federal continue com segurança;, garantiu.

Na reunião, Bolsonaro e Ibaneis também falaram sobre a possibilidade de abertura do comércio no DF. O Executivo local planeja retomar atividades a partir de 3 de maio, data estabelecida no decreto que impôs medidas de restrição. Para isso, no entanto, o GDF pretende adotar uma série de medidas de segurança, em parceria com empresários, como uso de máscaras e outros equipamentos de proteção.




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação