Cidades

Entidades de acolhimento têm atendimento psicológico on-line e gratuito

A iniciativa é uma parceria da Rede Solidária Anjos do Amanhã e Instituto Tocar

Correio Braziliense
Correio Braziliense
postado em 27/04/2020 15:35
Cantar, dançar e tocar são atividades recomendadas nos lares durante o isolamentoA Rede Solidária Anjos do Amanhã, programa de voluntariado da Vara da Infância e da Juventude (VIJ-DF), uniu-se ao Instituto Tocar para oferecer apoio psicológico emergencial aos profissionais das entidades de acolhimento do DF. O serviço é voltado às equipes que cuidam das crianças e adolescentes acolhidos institucionalmente.

O apoio é oferecido por psicólogos por meio de atendimento on-line gratuito, com horário previamente agendado. Também estão sendo compartilhados, em um grupo específico de WhatsApp, conteúdos relevantes voltados para o desenvolvimento emocional e o autocuidado, com técnicas, ferramentas e exercícios de meditação, respiração, relaxamento, consciência corporal, controle da ansiedade, entre outros.

[SAIBAMAIS]Segundo a coordenadora do Instituto Tocar, Regina Almeida, com as restrições de contato social, que impedem interações afetivas importantes para nosso ser emocional, como o abraço, é necessário buscar práticas que levam à tranquilidade interior. Meditar, realizar exercícios de relaxamento, automassagem e visualização criativa são algumas atividades indicadas pela psicóloga.

Regina afirma também que é fundamental encontrarmos possibilidades de manter o autocuidado e a paz, de fortalecer a nossa fé, as crenças positivas sobre nossa vida, nosso futuro e nossos sonhos para passarmos por essa transição da pandemia, que é um desafio. A psicóloga ressalta ainda que atividades como ouvir música, cantar, dançar, celebrar também são importantes porque a vibração da alegria aumenta a imunidade.



Solidariedade

Para a pedagoga Lubia Araya, do Lar Infantil Chico Xavier, faz bem nutrir a esperança, o amor e a fé, cuidar de cada um, ajudando e acalmando a ansiedade e os medos existentes, cuidar dos nossos pensamentos, buscar a compreensão, aprender mais um pouco a ter uma vida plena em situações difíceis.

Para Marileide Gomes, cuidadora social da Casa de Ismael,este é um momento de apreensão e medo, no qual os cuidadores precisam transmitir para as crianças e os adolescentes que estão tranquilos, que é só um momento ruim, que tudo isso vai passar. Para Cibele Figueiredo, também cuidadora da Casa de Ismael, é muito importante que as mães sociais participem do grupo de apoio e sejam assistidas para realizarem seus trabalhos com eficácia.

No mesmo sentido, Patricia Moraes, coordenadora do serviço de acolhimento da Casa de Ismael, considera importante a adesão da equipe de cuidadoras ao grupo de apoio. Segundo ela, o cuidado e a solidariedade são o mais importante nesse momento de muita ansiedade e angústia para todos, por isso é bom contar com a parceria de pessoas que têm se colocado à disposição para cuidar uns dos outros.



Saiba mais

O Instituto Tocar é uma ONG que trabalha especialmente na conscientização da importância da afetividade, do desenvolvimento emocional e da convivência familiar. Desde 2001 atua na implementação e na difusão de terapias do toque, como a técnica de massagem Shantala, terapias em grupo e outros métodos integrativos de assistência à saúde nas comunidades em situação de risco social.

O foco do Tocar são as crianças que estão sob medida protetiva de acolhimento no Distrito Federal. O Instituto Tocar se propõe ainda a promover um contexto favorável ao autodesenvolvimento de profissionais e cuidadores, com ênfase na comunicação afetiva e vivências do cuidado integral para fortalecer as interações relacionais.


Com informações do TJDFT

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação