Cidades

VÍDEO: enfermeiros homenageiam vítimas da Covid-19 e são hostilizados no DF

Manifestação ocorreu em frente ao Supremo Tribunal Federal. Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro hostilizaram os profissionais

Cibele Moreira
postado em 01/05/2020 15:17
Profissionais de saúde protestaram pelo isolamento socialO dia do trabalhador foi marcado por protesto na Praça dos Três Poderes. Profissionais da área da enfermagem fizeram um ato simbólico em homenagem às vítimas da Covid-19 no Brasil. Com uma cruz na mão eles chamaram a atenção para o número de mortes causada pela doença, além de trazer para foco a importância do isolamento social para o controle da pandemia.

A manifestação começou às 9h30, desta sexta-feira (1;/5), em frente ao Supremo Tribunal Federal. Todos os profissionais utilizaram máscaras de proteção facial e mantiveram o distanciamento mínimo de dois metros. A mobilização durou cerca de duas horas.

Confusão

Durante o ato, os profissionais da saúde foram confrontados por apoiadores do presidente da República, Jair Bolsonaro. Um homem chegou partir para cima dos enfermeiros e precisou ser contido por outros manifestantes com bandeiras do Brasil. A Polícia Militar foi acionada e interveio.
[VIDEO1]
[VIDEO2]
Durante os ataques, os profissionais manteriveram-se em silêncio. Para a enfermeira Marcela Vilarim, o ato também foi um pedido de socorro para a categoria e um apelo para a população. ;Nós estamos morrendo nessa luta contra a Covid-19. Estamos adoecendo, deixando de ser força de trabalho para virarmos pacientes. A gente precisa mais do que palmas, a gente precisa de valorização e respeito. E o respeito passa pela manutenção do isolamento social;, afirma. De acordo com ela, o isolamento social é de extrema importância para conter a velocidade da epidemia.

Nota de repúdio

O Sindicato dos Enfermeiros do Distrito Federal vem por meio dessa nota repudiar agressões físicas e verbais que apoiadores do Presidente da República cometeram contra enfermeiras na manhã desta sexta-feira, dia 1; de maio, que participavam de um ato na Praça dos Três Poderes.

O ato tinha como objetivo chamar a atenção para a enfermagem nacional. O protesto tinha três objetivos centrais: defender o isolamento social com base científica, homenagear os trabalhadores da enfermagem de todo o Brasil que morreram lutando contra a Covid-19 e mostrar a importância da categoria.

O Ato foi uma iniciativa da categoria, apoiada pelo Sindenfermeiro, uma vez que os diretores da entidade são enfermeiros e também estão na linha de frente. A organização se seu a partir dos próprios trabalhadores da enfermagem que estão na linha de frente contra o novo coronavírus.

As atitudes tomadas pelos apoiadores do governo vão ao encontro de ideologias fascistas e antidemocráticas. Infelizmente, são embasadas pelas atitudes do Presidente da República que diversas vezes debocha das consequências da pandemia, desconsidera todas as recomendações e diretrizes sobre a importância do isolamento social ao combate do novo coronavírus.

Hoje, no Brasil, são mais de 2,3 milhões de profissionais de Enfermagem, que estão na luta contra a Covid-19. Por isso, em respeito à vida da maioria da população e pensando na segurança dos milhares trabalhadores da saúde que superam o medo para salvar vidas, o SindEnfermeiro repudia, veementemente, as atitudes fascistas e antidemocráticas do grupo pró-governo, e ressalta a importância de a população seguir as recomendações da comunidade científica mundial de isolamento social.

O sindicato se orgulha das enfermeiras que resistiram às provocações do grupo bolsonarista. A enfermagem é feita de luta. O SindEnfermeiro reitera seu compromisso pela defesa das enfermeiras e enfermeiros, do Sistema Único de Saúde público e universal e da democracia acima de tudo e de todos. E por fim, relembra #LuteComoUmaEnfermeira!

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação