Cidades

Covid-19: Prefeitura de Alto Paraíso de Goiás solicita ajuda ao GDF

O município aguarda a resposta do governador Ibaneis Rocha (MDB). Em caso positivo para a solicitação, a prefeitura deve começar a traçar um plano de reabertura gradual das atrações

Agatha Gonzaga
postado em 05/05/2020 23:27
Atrações estão fechadas para evitar a aglomeração de turistasA prefeitura de Alto Paraíso de Goiás, município 220 km distante de Brasília, informou que encaminhou ao GDF por meio da Região Integrada de Desenvolvimento Econômico (RIDE), um ofício solicitando ajuda para o atendimento de possíveis casos de Covid-19. A medida faz parte de uma série de ações que vêm sendo estudadas pela força tarefa de combate a doença da cidade.

De acordo com o governo da cidade, caso o parecer do governado Ibaneis Rocha (MDB) seja positivo para o pedido, a Prefeitura analisa a criação de um possível plano de abertura gradual das atrações turísticas.
Segundo o secretário de turismo e desenvolvimento econômico de Alto Paraíso, Moisés Bandeira Neto, apesar dos apelos de empresários do setor para o retorno de turistas, o município não tem estruturas para lidar com casos de coronavírus, caso isso ocorra em consequência dessa ação.

;Constantemente eu recebo ligações de empresários querendo uma posição, mas nós não temos ainda. Para isso, nós precisamos de um plano de abertura, para saber se vamos abrir 30% ou 40%, mas a grande verdade é que nós não temos estrutura para isso. Nem UTI e respirador temos;, explicou.

O ofício foi encaminhado ao Executivo Local na última terça-feira (28/04). Até momento, Alto Paraíso de Goiás não identificou nenhum caso da doença, ainda assim, rumores de pessoas infectadas e de turistas brasilienses furando a barreira de isolamento do município tem preocupado moradores.

Segundo o secretário, as informações de visitantes da capital não procedem. ;Eles não foram e não estão registrados em nenhuma pousada. Nossas equipes formadas pela Vigilância Sanitária e Polícia Militar estão atuando 24 horas e apenas um atrativo, que é a Catarata dos Couros, está aberto, mas os agentes estão sempre fiscalizando para que nenhum turista vá;, desmentiu. Moisés Bandeira explica que a atração citada é responsabilidade do Governo Federal, e portanto, não há o controle de entrada e saída de pessoas.

A força tarefa organizada pela prefeitura também recebe denúncias de moradores e empresários sobre a possível hospedagem não autorizada de pessoas de fora de Alto Paraíso.

Passaporte

Entre as propostas de reabertura estudadas, o secretário explica que até a possibilidade de criação de um passaporte para brasilienses já foi pensado para voltar a movimentar o turismo. Ainda assim, todas as ideias são prematuras e precisam ser aprofundadas para serem apresentadas à população.

;Me sugeriram a criação desse passaporte livre, onde o turista brasiliense teria que fazer um teste para a Covid-19 ainda em Brasília e apresentar aqui, em casos negativos para ter acesso a cidade, mas isso, ainda é muito perigoso. Sabemos que há casos em que os sintomas demoram dias para aparecer, ou podem nem aparecer;, justificou.

Morte nas proximidades

Apesar de não fazer parte dos municípios que compõem a Chapada dos Veadeiros, a notícia de uma morte confirmada por coronavírus em Campos Belos (GO) a 180 km de Alto Paraíso de Goiás também deixou os moradores receosos com a recepção de visitas.

;Eu soube que esse caso é de uma pessoa que foi a Goiânia por alguns dias e quando retornou, dois dias depois morreu com a confirmação da doença. Ainda assim, não podemos dizer que há um caso confirmado na Chapada. A região da Chapada dos Veadeiros é composta por Alto Paraíso, Teresina de Goiás, Cavalcante, Nova Roma, Colinas do Sul e São João D;Aliança;, pontuou o secretário.

Decreto

O decreto do governo de Goiás editado em 26 de março determina que estabelecimentos que não prestem serviços essenciais, como os motéis, devem ficar fechados. Já os hotéis só podem receber hóspedes que atuem na prestação de serviços essenciais, limitando-se à 65% da capacidade máxima.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação