Cidades

Traficante venezuelano conhecido como 'Barão do Skunk' é preso em Brasília

O suspeito repassava a droga para pequenos traficantes da Asa Sul. Ele era reconhecido por vender entorpecente de alta qualidade por meio de aplicativos de mensagens instantâneas

Sarah Peres
postado em 06/05/2020 14:52
A polícia encontrou drogas e dinheiro na casa do suspeitoUm suposto traficante venezuelano, conhecido como ;Barão do Skunk;, de 40 anos, foi preso em flagrante na manhã desta quarta-feira (6/5). A ação ocorreu em nova fase da Operação Theya, realizada pela 2; Delegacia de Polícia (Asa Sul). Agentes passaram um ano investigando o acusado.

O suspeito vendia um tipo de maconha conhecido como skunk. Ele morava na Asa Norte e atuava no ramo ilegal há cerca de dois anos, realizando o comércio por meio de aplicativos de mensagens instantâneas, como explica o delegado João de Ataliba, adjunto da 2;DP.

;Apesar de ser morador da Asa Norte, ele vendia drogas para pequenos traficantes da Asa Sul. Descobrimos a atuação do suspeito em uma fase anterior da operação e, há um ano, estamos monitorando. Na manhã de hoje (6), cumprimos um mandado de busca e apreensão na residência dele e encontramos uma grande quantidade de entorpecentes no local;, esclarece o investigador.

[SAIBAMAIS]A ação contou com apoio do canil da Divisão de Operações Especiais (DOE). Como os agentes encontraram drogas na casa do suspeito, ele acabou preso em flagrante por tráfico de drogas ; crime inafiançável. Se condenado pelo delito, pode pegar de cinco a 15 anos de prisão.

De acordo com João de Ataliba, o acusado era conhecido como ;Barão do Skunk; por vender a maconha mais cara e de melhor qualidade do Distrito Federal. Ainda conforme as investigações, o homem chegava a cobrar R$ 300 por 50g do entorpecente.

;Ele era tido como um traficante que vendia uma droga cara, mas de excelente qualidade. O traficante preso é ex-estudante da Universidade de Brasília (UnB) e identificamos que ele trafica desde 2018;, finaliza o delegado-adjunto da 2;DP.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação