Publicidade

Correio Braziliense

Retomada das atividades comerciais no DF será em blocos, a cada 15 dias

Atacadistas, representantes comerciais e varejistas fazem parte do primeiro bloco


postado em 15/05/2020 07:38 / atualizado em 15/05/2020 10:27

Ibaneis Rocha vai divulgar a data de início do escalonamento da reabertura do comércio no DF(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
Ibaneis Rocha vai divulgar a data de início do escalonamento da reabertura do comércio no DF (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
A Justiça Federal autorizou a retomada gradual dos comércios no Distrito Federal. A decisão foi assinada pela juíza da 3ª Vara Federal Cível Kátia Balbino de Carvalho na manhã desta sexta-feira (15/5) e determina que a reabertura ocorra a cada 15 dias. As datas e o planejamento do início do escalonamento ainda serão divulgados pelo Governo do Distrito Federal.

A autorização ocorreu após uma visita da magistrada à sala de controle da covid-19 no Palácio do Buriti, na manhã de 7 de maio, com o intuito de o GDF apresentar dados sobre a doença na capital e o que tem sido feito para combater o vírus. Assim, dando mais segurança para a reabertura das atividades consideradas não essenciais, que estão sem funcionar desde o primeiro decreto com medidas de isolamento, em março.

No primeiro bloco, estarão liberadas atividades comerciais, como atacadistas, representantes comerciais e varejistas. Também atividades de serviço de informação e comunicação, como agências de publicidade e consultorias empresariais; e atividades administrativas e serviços complementares, como agência de viagem, fornecimento e gestão de recursos humanos para terceiros.

Após 15 dias, shoppings centers e centros comerciais poderão funcionar. Depois, será permitido o funcionamento de restaurantes e outros estabelecimentos de serviços de alimentação e bebidas; serviços ambulantes de alimentação; bufê e outros serviços de comida preparada, além de cabeleireiros e outros estabelecimentos de tratamento de beleza.

Depois, poderão retornar cinemas, atividades de artes e cultura; esporte e lazer, como academias, espetáculos, bibliotecas, jardim botânico, clubes sociais, parques de diversão e eventos; também atividades de organizações religiosas, como igrejas e templo; feiras livres e educação e administração pública.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade