Publicidade

Correio Braziliense

Codeplan estima que DF terá 412 mortes por covid-19 até 16 de junho

Nesta terça-feira (19/5), a capital registrou 68 mortes ocasionados pela doença


postado em 19/05/2020 19:20 / atualizado em 19/05/2020 22:34

(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
Pesquisa da Companhia de Planejamento (Codeplan) estima que o Distrito Federal terá 412 mortes provocadas pelo novo coronavírus até 16 de junho. Nesta terça-feira (19/5), a capital registrou 68 óbitos ocasionados pela doença, ou seja, caso ocorra o crescimento, serão seis vezes mais vítimas em um mês. 
 
Levantamento mais recente da Secretaria de Saúde mostra que a capital tem 4.853 casos confirmados da covid-19. De acordo com o estudo, até o próximo domingo (24/5), serão 7.659 diagnosticados e 84 mortos. Até o fim deste mês, os óbitos devem passar para 130 e a quantidade de infectados para 13.395. Em 16 de junho, a pesquisa prevê 45.602 notificações da doença. 
 
O estudo ainda informa que o número de casos acumulados no Distrito Federal vinha crescendo, mas com uma desaceleração em relação às semanas anteriores. Entretanto, houve uma aceleração no número de casos entre 10 e 16 de maio. A pesquisa ainda ressalta que essa mudança pode ter ocorrido em função da queda do isolamento social na capital. 
 
Ainda segundo o estudo, o DF ocupa a 12ª posição entre as unidades da federação em número absoluto de casos confirmados. Além disso, a capital é a 16ª no ranking de mortalidade a cada 100 mil habitantes. Os dados analisados são até 17 de maio, quando o DF tinha 4.451 casos e 59 óbitos. 
 
O estudo ainda traz uma observação de que a maior incidência da covid-19 é em homens. Entretanto, a taxa de letalidade é maior para mulheres no Distrito Federal, “ao contrário do que é observado na maioria dos países e no Brasil”. Levantamento da Secretaria de Saúde desta terça mostra que a capital tem 2.738 homens e 2.115 mulheres infectados. 

Isolamento social

 
De acordo com o Governo do Distrito Federal (GDF), o resultado se deve, principalmente, às medidas de restrição e distanciamento social. Como não existe vacina ou remédio com eficácia comprovada, o isolamento é a única maneira de combater a disseminação da Covid-19. 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade