Cidades

GDF vai criar disque-denúncia para auxiliar na fiscalização do comércio

População poderá realizar denúncias anônimas sobre os estabelecimentos que não estão cumprindo as medidas sanitárias para evitar a proliferação do coronavírus

Correio Braziliense
Correio Braziliense
postado em 25/05/2020 20:31
Comércios estão autorizados a funcionar com medidas de prevenção ao novo coronavírusO governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, anunciou, nesta segunda-feira (25/5), que será criado um canal de denúncias anônimas para auxiliar nas fiscalizações sanitárias diante da pandemia do novo coronavírus. A proposta foi apresentada durante reunião com entidades que representam comerciários.

A medida se torna necessária após a autorização da reabertura de vários estabelecimentos comerciais nesta terça-feira (26/5). Os espaços podem funcionar, desde que sigam as orientações para evitar a proliferação do coronavírus, como o uso de máscaras, medição de temperatura, a disponibilização de álcool em gel a 70% e distanciamento de 2m entre as pessoas. No entanto, as fiscalizações serão reforçadas e a população poderá ter participação ativa.

;Não existe força-tarefa no mundo que consiga fiscalizar todos ao mesmo tempo, por isso, acredito que será muito importante uma participação social, com a criação de um canal específico para denúncias;, afirmou o governador. A medida deve sair do papel nos próximos dias e, segundo o chefe do Executivo, vai funcionar como uma espécie de ouvidoria.

De acordo com Ibaneis, os brasilienses poderão encaminhar e-mails ou falar por telefone a denúncia. A informação poderá ser repassada de forma anônima.

;Exigimos que os empresários adotem medidas de prevenção, estamos cuidando da desinfecção do transporte público e ainda reforçamos a rede de saúde com novos leitos;, enumerou Ibaneis Rocha. ;Sei do tamanho da responsabilidade que carrego nas minhas costas. Por isso, todas as ações estão sendo tomadas com base em estudos técnicos, cálculos e projeções elaboradas pela Secretaria de Saúde e a Codeplan;, ressaltou.

Para Geralda Godinho Sales, secretária-geral do Sindicato dos Empregados no Comércio do DF, é preocupante a fiscalização dos estabelecimentos menores. ;Os grandes comércios estão cumprindo as determinações do governo, mas com os pequenos ainda está muito precário ainda;, observou.

Segundo ela, mais de 150 mil trabalhadores também estão preocupados. ;Apesar de a gente ver que o decreto do governo detalhou bastante as medidas voltadas à saúde do trabalhador, tem muita gente que não acata;, pontuou. Porém, ela aprova a criação do disque-denúncia e diz que pode ser uma alternativa para ajudar os sindicatos na fiscalização das medidas de proteção aos comerciários.

O secretário de Governo, José Humberto Pires, informou que a central de denúncias estará em pleno funcionamento até a próxima semana. ;Enquanto isso, seguimos com ações de fiscalização regionalizadas e concentradas nas regiões nas quais é maior a incidência do número de casos;, pontua. Ao todo, cerca de 300 fiscais da DF Legal, da Vigilância Sanitária e servidores de outras secretarias participam, diariamente, das ações de fiscalizações no Distrito Federal.
Com informações da Agência Brasília

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação