Cidades

Coronavírus: Parques e academias podem reabrir na próxima semana

Para que a medida seja efetivada, o GDF vai avaliar a curva dos casos de coronavírus na capital após a reabertura de alguns comércios esta semana

Caroline Cintra
postado em 27/05/2020 10:40
De acordo com a secretária Celina Leão, os parques podem ser reabertos antes das academias no DFOs parques e as academias podem reabrir na próxima semana no Distrito Federal. É o que disse a secretária de Esportes e Lazer do DF, Celina Leão, em entrevista ao Bom Dia DF, da TV Globo, na manhã desta quarta-feira (27/5). Ela contou que o governo vai avaliar a retomada dessas atividades a partir do numero de casos de covid-19 no DF, principalmente, após a reabertura de alguns comércios esta semana. ;Se manter a curva sob controle, tem condições de reabrir na próxima semana;, afirmou.

De acordo com a secretária, os parques podem ser abertos antes das academias. A pasta estuda o cronograma junto ao Comitê Científico Operacional de Estratégias de Enfrentamento da Covid-19. Celina Leão assegura que a retomada respeitará as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), como o distanciamento entre os usuários, a higienização constante dos equipamentos e o limite de alunos por unidade para garantir a segurança e a saúde da população.

Nesta quarta-feira (27/5), às 11h, o Sindicato das Academias do DF (Sindac-DF) tem reunião com a Casa Civil do DF e espera receber boas notícias para o setor. ;Nossas expectativas são boas. A secretária entende o contexto e a importância da reabertura como questão de saúde mesmo. Com as pessoas sedentárias o risco é maior. Há protocolos seguros para que a disseminação não ocorra de forma acelerada. Se todos vão pegar a doença um dia, que a imunidade esteja em dia;, disse a Thaís Yeleni, presidente do Sindac-DF.

[SAIBAMAIS]Como forma de combate à covid-19, o sindicato criou uma cartilha de orientações para as academias. O material foi construído com base nas diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde, onde orienta a disponibilização de álcool 70% a todos os clientes e colaboradores em cada área do estabelecimento, além de higienização dos ambientes e fechamento das unidades de duas a três vezes ao dia, por 30 minutos, para uma limpeza geral.

O uso de máscara será obrigatório. Todos que entrarem nas unidades deverão passar pela medição de temperatura. Aqueles que apresentarem taxa superior a 37,8;C não terão autorização para entrar na academia. Deverá ter álcool em gel ao lado da catraca, para os alunos que entrarem por meio de acesso biométrico. Aqueles que não quiserem encostar no leitor, devem ter a opção de acessar o local comunicando a recepção, por meio do CPF ou matrícula.

A quantidade de clientes simultâneos nas academias também será controlada a uma distância de 6,25 metros quadrados. Em aulas coletivas, deve-se manter a distância mínima de 1,5 metros quadrados. O espaçamento entre aparelhos e armários também será cobrado. Além disso, os bebedouros deverão ser usados apenas para encher garrafinhas. Os clientes acima de 60 anos poderão ter os planos cancelados, quando solicitado.

Desemprego

Um balanço realizado pelo Sindac-DF mostra que mais de 7,5 mil funcionários de academia foram demitidos desde o decreto que suspendeu o funcionamentos das unidades, em 19 de abril. Foram suspensos, pelo menos, 14, 8 mil contratos de trabalho. Todos os estagiários do setor, que somam 4,8 mil estudantes de educação física do DF, foram desligados.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação