Cidades

Novo secretário defende criatividade como solução para desemprego

José Eduardo Pereira Filho, novo titular da Secretaria de Desenvolvimento Econômico defende trabalho conjunto para fortalecer matriz econômica

Thais Umbelino
postado em 27/05/2020 16:00
José Eduardo Pereira Filho, novo secretário da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do DF, empossado nessa segunda-feira (25/5), acredita que uma das soluções para o enfrentamento do desemprego no DF, agravado pela pandemia do novo coronavírus, é a capacidade de enxergar novas possibilidades. ;Tem que haver criatividade, principalmente nesse cenário. Tem que haver capacidade de iniciativas de fazer com que nós enxerguemos um mapa de possibilidade de como dar ao DF uma personalidade empresarial;, diz. Para isso, o secretário defende um trabalho conjunto. ;Atuar com o BRB e outras instituições bancárias; com a Secretaria de Empreendendorismo, recém criada; com o campo das próprias relações de trabalho e buscar estabelecer uma matriz econômica com a secretaria de Econômica;, explica, em entrevista ao programa CB.Poder, parceria do Correio com a TV Brasília.

O também advogado e professor universitário acredita que o setor de serviços é uma área efervescente durante a crise. ;Nesse momento da covid, todos os setores comerciais já fazem as suas entregas através de mecanismo de uberização. O DF tem um perfil fantástico para a logística;, opina. Sobre o período, ele acredita ser de desafio, mas com possibilidades de crescimento futuro. ;Estamos atravessando um rio caudaloso e tortuoso. É um momento de repensar, ressignificar e reconstruir buscando engenharias capazes de enxergar pontos através dos quais nós vamos nos guiar;, ressaltou.

[SAIBAMAIS]Para José Eduardo, a reabertura dos comércios marca uma nova fase durante a pandemia, mas deve ser constantemente avaliada. ;É um mundo novo, são circunstâncias absolutamente desconhecidas. O vírus é invisível. Há possibilidade de uma segunda onda? Nós não sabemos nada disso. Por isso que nós estamos trabalhando com o que é possível, de uma forma cautelosa, com pé no chão e sem gerar entusiasmos que podem ser exagerados, mas também sem desistir de olhar e observar que nós vamos, sim, sair do outro lado;, analisa.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação