Cidades

Carreata na Esplanada dos Ministérios cobra ajuda ao setor de turismo

Setor estima perda de R$ 2,2 bilhões na primeira quinzena de março, no país, e cobra do GDF assistência à categoria

Alan Rios, Juliana Andrade
postado em 28/05/2020 09:57
Protestantes querem auxílios para enfrentar crise do setorAssociações do setor de turismo do Distrito Federal promovem uma carreata na Esplanada dos Ministérios na manhã desta quinta-feira (28/5). A manifestação é organizada pela Associação Brasiliense de Turismo Receptivo (ABARE), que cobra assistência do Governo do Distrito Federal em um momento de crise.

O protesto começou por volta das 9h, com concentração no estacionamento da Feira da Torre de TV. Cerca de cem veículos são esperados. Manifestantes ressaltam os dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), que estimam que o turismo no Brasil perdeu R$ 2,2 bilhões na primeira quinzena de março.
Carreata espera mais de cem veículos

A ABARE pede ações direcionadas ao setor que minimizem esses impactos, como a diminuição dos impostos, isenção do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e a flexibilização de crédito.

[SAIBAMAIS] A associação também quer manifestar propostas ao Executivo local para auxiliar o setor de transporte receptivo turístico de Brasília, como pagamento de auxílio emergencial de R$ 3.000,00 por veículo, incorporação de toda a frota para atuar nos contratos do governo e inclusão no transporte público de passageiros do DF.

;Esses são exemplos de parcerias com o poder público para que de alguma forma possam amenizar a ausência plena de esperança na nossa atividade. São mais de 60 dias sem faturamento. Somos um setor que emprega quase 6 mil pessoas. Queremos que flexibilizem o crédito, que nós dê acesso ao auxílio emergencial;, ressaltou o presidente da associação Reinaldo Ferreira.
Categoria preparou um ofício com as reivindicações do setor
A secretária de turismo, Vanessa Mendonça também esteve no movimento e recebeu das mãos do presidente um ofício com as reivindicações do setor. ;Estamos recebendo as ações concretas para que o nosso governo possa analisar e darmos continuidade a esse trabalho;, diz. ;Agora é ação. O governador tem tomado medidas para proteger a nossa população e resguardar a nossa economia;, completou a secretaria.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação