Cidades

Recorde de mortes por covid-19

Dez novos óbitos causados pelo coronavírus foram registrados, ontem, no Distrito Federal. No total, a doença vitimou 142 moradores da capital. Ceilândia passou o Plano Piloto em número de infectados. As regiões têm 861 e 829 casos, respectivamente

postado em 30/05/2020 04:05
Mané Garrincha conta com 177 leitos para atender pacientes diagnosticados com o coronavírus

O Distrito Federal registrou, ontem, o maior número de mortos por covid-19 em um dia: 10 óbitos, segundo a Secretaria de Saúde. Com esse número, a capital da República chega a um total de 154 pessoas que perderam a vida por causa do coronavírus ; sendo que 12 são moradores de outros estados. A quantidade de pessoas que contraíram o vírus também continua a subir: são 8.722 infectados, segundo painel do Governo do Distrito Federal (GDF).


Segundo a Secretaria de Saúde, entre os pacientes que tiveram diagnóstico positivo para o coronavírus, 70 estão em estado grave; 227, moderados; e 2.482 com o quadro clínico leve. Mais de 50% das pessoas que contraíram o vírus no DF estão curadas (4.470).


Como registrado no boletim mais recente da pasta, Ceilândia passou o Plano Piloto no número de casos do novo coronavírus. São 861 e 829, respectivamente. Mas, proporcionalmente, a região administrativa tem menos infectados. São 194 por cem mil habitantes, em Ceilândia. No Plano Piloto, são 359,95. A maior incidência, até agora, ocorre no Lago Sul: há 613,46 ocorrências a cada cem mil habitantes.


Embora não esteja incluído nas regiões administrativas, o Complexo Penitenciário da Papuda contabiliza um total de 727 detentos e 54 policiais penais infectados.


Leitos
Dos 322 leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) disponíveis na rede pública de saúde com suporte de ventilação mecânica, 128 estão ocupados e 192, reservados, até a manhã de ontem. A taxa de ocupação chega a 39,75%. Na ala de enfermaria, dos 504 leitos destinados ao tratamento da covid-19, 184 estão sendo usados.


As unidades estão divididas entre o Hospital Regional da Asa Norte (Hran) e o Hospital de Campanha do Mané Garrincha, com 327 e 177 vagas, respectivamente. No total, o DF conta com 16 hospitais públicos, 3.682 leitos gerais de enfermaria registrados no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES) e 359 UTIs.


Na rede privada, 59 leitos estão vagos dos 197 disponíveis para atender à demanda de pacientes diagnosticados pelo novo coronavírus. A taxa de ocupação é de 70,05%.

Novos postos
A partir de segunda-feira, o Riacho Fundo 1 e Sobradinho 2 terão pontos para testagem da covid-19 por drive-thru. Os postos funcionarão nas administrações regionais das duas cidades, atendendo aos moradores das regiões. Na unidade de Sobradinho 2, as pessoas que moram em Sobradinho também poderão ser testadas.


Com os novos locais, os postos montados no Terraço Shopping e na Administração Regional do Guará serão desativados. No entanto, a população que reside nessas áreas continuarão tendo acesso aos exames nas unidades do Parque da Cidade e do ParkShopping.


Desde 21 de abril, 121.451 testes foram realizados e detectaram a doença em 2.515 brasilienses. A testagem deve ser agendada pelo site testa.df.gov.br ou pelo aplicativo e-GDF.

Compra de equipamentos

O Serviço Social do Comércio (Sesc Nacional) desistiu de construir o hospital de campanha para atender a pacientes diagnosticados com coronavírus. Agora, o investimento que seria utilizado para a obra será destinado à compra de equipamentos para abastecer outros hospitais da rede pública de saúde. A mudança de planos veio após uma análise da Confederação Nacional do Comércio (CNC). A entidade alegou que o Sesc Nacional não poderia montar a estrutura.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação