Publicidade

Correio Braziliense

"Não arrisquem a vida", diz idosa que venceu a covid-19 e a dengue

Maria de Araújo Meira procurou o Hospital Regional de Sobradinho em 13 de maio, se queixando de fortes dores no corpo. Recebeu o diagnóstico de dengue e, em seguida, o de covid-19; passou por três hospitais, inclusive o do Mané Garrincha, antes de se recuperar


postado em 01/06/2020 21:24 / atualizado em 01/06/2020 21:25

A aposentada recebeu alta neste domingo (31/5)(foto: Kátia Nascimento/Divulgação)
A aposentada recebeu alta neste domingo (31/5) (foto: Kátia Nascimento/Divulgação)
Aos 72 anos, Maria de Araújo Meira venceu a covid-19 e recebeu alta hospitalar na tarde de domingo (31/5). Hipertensa, a aposentada foi infectada pelo coronavírus e pela dengue ao mesmo tempo. Em entrevista ao Correio, Kátia Nascimento, 25, uma das netas dela, relatou a luta da avó para sobreviver à doença. 

Maria procurou o Hospital Regional de Sobradinho em 13 de maio, se queixando de fortes dores no corpo. Na unidade de saúde, médicos a disseram que poderia se tratar de dengue — epidemia que o DF enfrenta simultaneamente à pandemia do coronavírus. Depois disso, a aposentada começou a sentir falta de ar e o quadro piorou. Ela precisou ser encaminhada ao Hospital Regional da Asa Norte (Hran), onde recebeu o diagnóstico positivo para a covid-19. 

Internada, a idosa permaneceu na unidade de terapia intensiva (UTI) por uma semana. "Ela não chegou a ser entubada. Ficamos apavorados, pois os médicos falavam que o quadro era grave. Como ela ficou sem celular, não tínhamos contato. Mas, felizmente, depois de sete dias, por apresentar uma melhora no quadro, a encaminharam ao hospital de campanha do Estádio Mané Garrincha", disse Kátia. 

No hospital de campanha, profissionais da saúde ligavam frequentemente para família com o objetivo de dar notícias sobre a saúde de Maria. "Agora, ela está na casa de uma das filhas e os médicos  a orientaram a ficar durante um mês no quarto sem ter contato com ninguém", contou a neta. 
 
 
 
A família, no entanto, não sabe onde a aposentada pode ter contraído o vírus e a dengue. "Desconfiamos que ela tenha pegado o coronavírus no próprio hospital, porque ela não sabe dizer onde pode ter contraído", acrescentou a jovem. 

Em um áudio enviado à neta, Maria dá uma lição à população. "Aconselho a todos vocês que não arrisquem a vida pelo comércio e pelo dinheiro. Tomem cuidado com a vida de vocês, pois ela não tem preço. Vamos evitar esse problema enquanto é tempo. Tenham cuidado, brasileiros, um com o outro. Se preservem dentro de casa. Não vale a pena arriscar", desabafa. 

Casos
O Distrito Federal ultrapassou os 10 mil casos confirmados do novo coronavírus. Levantamento da Secretaria de Saúde divulgado no início da noite desta segunda-feira (1º/6) mostra que há 10.510 pessoas diagnosticadas com a covid-19 na capital. Apenas nesta segunda, foram 730 novos infectados. 
 
Além disso, a pasta registrou mais três mortes provocadas pela doença. Agora, são 160 vítimas. A secretaria aponta o óbito de mais 13 pessoas moradores do Entorno que perderam a vida em unidades de saúde da capital. Apesar da quantidade de casos, 5.580 pacientes estão recuperados da covid-19. 

Em relação à dengue, a capital da República tem 30.184 casos prováveis de dengue e 17 óbitos, segundo a Secretaria de Saúde.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade