Publicidade

Correio Braziliense

Por WhatsApp, assistente virtual orienta população sobre coronavírus

Além de auxiliar na autoavaliação, as assistentes virtuais acompanham pacientes já diagnosticados


postado em 02/06/2020 17:40 / atualizado em 02/06/2020 18:03

Serviço orientará brasilienses sobre quando fazer teste rápido, por exemplo(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Serviço orientará brasilienses sobre quando fazer teste rápido, por exemplo (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Para prestar informações e orientações sobre o coronavírus para a população do Distrito Federal, o Instituto de Gestão Estratégica de Saúde (Iges-DF) lançou a plataforma Ana. A assistente virtual se comunica com os usuários por meio das redes sociais e do WhatsApp. 
 
Por meio do número (61) 99819-6599, os cidadãos poderão fazer uma autoavaliação de sintomas antes de se dirigirem para uma unidade de saúde ou para o drive-thru de testagens rápidas. Se o caso for considerado de atenção, de acordo com os critérios médicos definidos pelo Iges-DF, o atendimento é direcionado para um analista. Nesta etapa, o usuário poderá relatar melhor a sua situação e, se for o caso, será direcionado para uma Unidade Básica de Saúde (UBS) de sua região ou para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Segundo o diretor-presidente do Iges-DF, Sérgio Costa, o fluxo foi definido por médicos e acadêmicos de medicina. O foco é auxiliar na autoavaliação evita que pessoas saiam sem necessidade. “Com esse apoio, essas pessoas serão orientadas de forma mais adequada ao tipo de serviço que devem procurar, diminuindo a possibilidade de superlotação das unidades de saúde”, avalia o presidente. 

Orientação

Fornecer informações gerais sobre a covid-19, esclarecendo dúvidas sobre como a infecção pelo vírus ocorre, como se prevenir, quais os principais sintomas, se já existe uma cura, entre outras questões também faz parte do serviço que a robô Ana faz.

Há ainda a bot Gabriela, que acompanha pacientes já diagnosticados com covid-19 nas unidades públicas do DF. Também pelo WhatsApp, a assistente virtual entrará em contato pelo número informado pelos pacientes no prontuário e acompanhará por 14 dias a evolução do quadro de saúde daqueles que tiveram diagnóstico de covid-19 confirmado e que foram liberados para isolamento domiciliar. 

“Gabriela fará perguntas diariamente a essas pessoas para saber a evolução dos sintomas, permitindo que o Iges-DF e o sistema de saúde do DF possam contribuir e auxiliar o paciente que passa por tratamento em casa”, afirma Sérgio.

O subsecretário de Vigilância à Saúde da Secretaria de Saúde (SES), Eduardo Hage, destaca que, além do esclarecimento de dúvidas e da ajuda na autoavaliação, a plataforma auxilia na captação dos dados epidemiológicos. 

“A partir dos dados captados através dos atendimentos feitos pela plataforma e dos monitoramentos para saber como os casos evoluem, a contar com conjunto de informação que deverão respaldar as tomadas de decisões em cada uma das regionais, já que os dados poderão ser mapeados de acordo com cada região administrativa”, destaca.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade