Publicidade

Correio Braziliense

Após 9 anos, famílias assinam contrato para construção de casas no Recanto

As casas nas quadras 117 e 118 no Recanto das Emas, que fazem parte do programa Habita Brasília, devem ficar prontas em 2021.


postado em 02/06/2020 20:01 / atualizado em 02/06/2020 20:02

Esboço de projeto para as casas do Recanto das Emas (foto: Divulgação / Codhab)
Esboço de projeto para as casas do Recanto das Emas (foto: Divulgação / Codhab)
O sonho da casa própria está mais próximo para 190 famílias do Distrito Federal. Elas foram selecionadas há nove anos para receber um imóvel nas quadras 117 e 118 do Recanto das Emas. Contudo, somente neste ano o GDF deu fim às burocracias que atrapalhavam o processo. Na última sexta-feira (29/5), os beneficiados começaram a assinar o contrato de financiamento das construções para o início das obras.

Os terrenos, unifamilares, foram doados pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional do DF (Codhab), e o governo investiu quase 14 milhões para construir toda a infraestrutura na área. A rede de água, esgoto, iluminação pública, redes de águas pluviais, asfalto e meios-fios foram terminadas há quatro anos.

Espera por assinatura de contrato

Em 2011, 24 entidades venceram uma licitação, realizada pela Codhab, e ganharam um termo de concessão de uso para construir nos 530 lotes das duas novas quadras da cidade. Cada instituição recebeu um conjunto da quadra, cerca de 20 lotes, e selecionou, entre os seus associados, as famílias a serem beneficiadas.

As cooperativas se uniram e contrataram uma única construtora para erguer as casas. No entanto, para dar início às obras, faltava a assinatura do contrato com a Caixa Econômica Federal (CEF), responsável pelo financiamento dos imóveis.

O empreendimento atual no Recanto das Emas é destinado às faixas 1, 5 e 2 do Habita Brasília, o programa habitacional do DF. São famílias com renda familiar de até R$ 4 mil. A construtora vai erguer residências iguais no terreno: dois quartos, sala, cozinha e banheiro. O valor da construção ficou em R$ 99 mil para cada família, valor financiado pela Caixa e subsidiado pelo governo federal em até R$ 47 mil - a definição desse valor depende do perfil familiar.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade