Publicidade

Correio Braziliense

MPDFT denuncia homem acusado de estuprar menino de 7 anos em Brazlândia

Ministério Público pede condenação por estupro de vulnerável, crime com pena mínima de oito anos, e máxima de 15 anos, de prisão, e a fixação de valor mínimo de reparação de dano


postado em 02/06/2020 21:28 / atualizado em 02/06/2020 21:33

Homem ficou detido na 18ª DP (foto: Ed Alves/CB/D.A Press )
Homem ficou detido na 18ª DP (foto: Ed Alves/CB/D.A Press )
O homem de 43 anos suspeito de estuprar um menino de 7 anos foi denunciado, na última sexta-feira (29/5), pela Promotoria de Justiça de Brazlândia. O acusado foi preso na noite de terça-feira (19/5), após uma denúncia.

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) pede a condenação do homem pelo crime de estupro de vulnerável, crime com pena mínima de oito anos, e máxima de quinze anos, de prisão, e a fixação de valor mínimo de reparação de dano. O acusado permanece preso e o processo corre em sigilo, por envolver vítima menor de idade.

Crime

O criminoso trabalhava para a família da criança há uma semana, e já tinha passagem pela polícia por estupro e roubo. O acusado teria praticado mais de uma vez os atos libidinosos. Para não denunciado pela vítima, ele oferecia dinheiro e ameaçava de morte os parentes dela. 

Porém, na tarde de terça-feira (19/5), as irmãs mais velhas do garoto, de 11 e 16 anos, perceberam o comportamento estranho da criança e avisaram ao pai. "Eles suspeitaram que o menino tivesse sido vítima de abuso e o levaram para o hospital, onde foi constatado o crime. A criança teria dito que o abusador ameaçou matar o pai e a avó dela, caso a vítima contasse sobre os abusos", disse o sargento da Polícia Militar Élio Maciel. 

Os abusos foram confirmados após exames no Hospital Regional de Brazlândia. Ao ser acionada, no dia 20 de maio, a polícia prendeu em flagrante o acusado. O suspeito foi autuado por estupro de vulnerável e ficou detido na 18ª Delegacia de Polícia (Brazlândia). 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade